Domingo, 19 de Novembro de 2017 |

Colunista


Falando de Segurança


Paulo Franquilin


franquilin.pc@gmail.com


Estupro ou Orgia?

O crime bárbaro exposto em todos os lares brasileiros em que uma menina de 16 anos que foi estuprada por 33 homens chocou todo o país, principalmente pela divulgação de um vídeo do estupro coletivo.

Os fatos, segundo a menina, ocorreram depois de um baile funk na comunidade onde morava, quando após fazer sexo com seu namorado, chegaram outros homens, os quais a agarraram e revezaram-se no estupro, deixando-a desacordada e nua.

Quando acordou foi para sua casa e não denunciou o crime por medo de ser morta pelos traficantes, ficando em sua casa sem falar nada para sua família. Depois da exposição do vídeo sua família denunciou os estupradores, iniciando a divulgação dos fatos pela mídia, surgindo outros vídeos e áudios dizendo que a menina era acostumada a participar de orgias sexuais em sua comunidade, inclusive pedindo cada vez mais homens para fazerem sexo com ela.

A sociedade não pode se deixar levar por preconceitos que incluem a ideia de que as mulheres estupradas são responsáveis pelos estupros por provocarem os homens com suas atitudes e vestimentas, enquanto de outro lado vem o discurso de que as mulheres devem agir como quiserem, expondo seus corpos e cabe aos homens controlarem seus instintos e evitar sentirem atração por elas, mantendo uma atitude de respeito às mulheres.

O crime levantou a triste estatística brasileira de que uma mulher é estuprada a cada 11 minutos, com o agravante deste número ser maior, pois muitos casos não são registrados pelas mais diversas razões.

Também veio a tona que nos bailes funk da periferia meninas de 10 anos em diante já frequentam as festas, numa triste realidade, onde a liberdade sexual é extrema para crianças e adolescentes, sem controle da família, nem prevenção, numa onda de orgias consensuais que se repetem a cada novo baile nas comunidades.

Saliento que o crime de estupro só acontece quando há a negativa da prática sexual, do contrário ocorre uma relação sexual que pode ser realizada das mais diversas formas, com qualquer número de pessoas, desde que haja consenso entre os envolvidos.

COMENTÁRIOS ()