Tera-Feira, 20 de Outubro de 2020 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


Fandango com Os Monarcas. Show com Mano Lima

Em plena terça-feira de carnaval, tu terás a chance de prestigiar um grande fandango gaúcho. Pois é isso que vai acontecer na noite do dia 05 de março na Sociedade Gaúcha de Lomba Grande. Além do jantar campeiro, teremos o espetáculo musical gauchesco (show) com Mano Lima e o fandango com Os Monarcas. Neste evento serão vendidas mesas. Compras antecipadas somente por email loja@sociedadegauchalombagrande.com.br. Informações pelo fone (51) 3596-2698. A entidade fica na Rua Albano Guilherme Kunrath, 1350, Lomba Grande, em Novo Hamburgo.

CTG Amanhecer na Querência

A entidade agora é capitaneada por uma prenda, apatroa Shirley Isabel Cambeiro e para começar com galhardia a sua gestão, vem aí o Primeiro Baile à Moda Antiga e posse da nova patronagem. Será no dia 08 de março – sexta-feira, a partir das 22h. No meio da noite será servido um macanudo café campeiro. Na animação teremos o Grupo Moda Antiga. O CTG Amanhecer na Querência fica na Rua Tramandaí, 76, no bairro Jardim Alvorada.

CPF O Tempo e o Vento

No dia 09 de março o CPF O Tempo e o Vento vai realizar a “janta dos polentinhas”, a partir das 20h30min. No cardápio, galeto, arroz, saladas variadas e maionese de massas. O evento será realizado no galpão da entidade, na Rua São Vicente, 233, em Alvorada.

Fandango em Homenagem às Prendas

Te aprochega vivente pois no dia 09 de março o galpão do CTG Coxilha Aberta estará com as porteiras escancaradas para a sexta edição do Baile em Homenagem às Mulheres Gaúchas. E novamente, a animação será por conta do Grupo Marca de Campo. No jantar, o cardápio será churrasco, arroz e saladas diversas. Contatos com a Martinha Machado pelo fone / zapp (51) 996.019.651 ou com a Maitane pelo fone / zapp (51) 992.422.695. O CTG fica na Av. Silvestre Félix Rodrigues, 1285, no Bairro Costa e Silva, em Porto Alegre.

Gaita! Não tem música sem ela (final)

A origem do acordeão! Por volta de 2.700 a.C., os chineses desenvolveram um instrumento no qual o ar fazia vibrar palhetas produzindo um som, aproveitando a acústica da boca. Foi chamado Tcheng ou Cheng, que viria a ser a origem do acordeão.

Em 1822, o austríaco Cyrillus Demian constrói o primeiro acordeão como conhecemos hoje, um diatônico ou gaita de boca. O instrumento foi patenteado por Cyrillus em seis de maio de 1829, em Viena, na Áustria, e o primeiro concerto foi realizado em 19 de julho de 1829, em Londres.

No Rio Grande do Sul, a gaita chega com imigrantes alemães, por volta de 1846, em São Leopoldo, e em 1875, com a chegada dos italianos. Inicialmente, os instrumentos eram importados. Depois, começaram a ser fabricados aqui.

Em 1939, surge, em Bento Gonçalves, a Todeschini & Cia. Em 1947, é rebatizada como Acordeões Todeschini. Chamada carinhosamente de Rainha do Fandango, até hoje é referência quando se fala em acordeons de oito baixos nacionais. Em 1971, um incêndio destruiu seu parque industrial, interrompendo a fabricação. O Rio Grande do Sul já teve 21 fábricas do instrumento. Hoje, tem uma, a Pampeana.

Desde 2010, é reconhecido como instrumento símbolo do Rio Grande do Sul, por lei aprovada na Assembleia Legislativa. Fonte! Este chasque está publicado no blog Escuta Esta, do Diário Gaúcho, no dia 19 de julho de 2014, por José Augusto Barros.

COMENTÁRIOS ()