Tera-Feira, 20 de Outubro de 2020 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


Festejos Farroupilhas de Alvorada

Os festejos farroupilhas em nossa cidade começaram oficialmente no dia 07 de setembro, com a chegada da Chama Crioula e abertura oficial do evento. Mas os trabalhos da Subcoordenadoria, capitaneada por Jair Martins, e as entidades tradicionalistas (CTGs e Piquetes), iniciaram no começo do ano, com a realização de eventos para angariar fundos para custear a busca da Chama em Tenente Portela e do próprio Acampamento. Cabe ressaltar que nestes festejos farroupilhas tivemos três patronos espirituais: Patrão José Adenoir Lacerda, do CTG Sentinelas do Pago; Paulo Fonseca (Tio Paulo) do Piquete Pé de Amigo e o guri Jonas Borges, do CPF O Tempo e o Vento.

Mas ainda temos programação: os desfiles (temático e campeiro), serão na tarde do dia 20 de setembro; às 17h, no palco principal teremos o Grupo Os Fandangueiros; dia 21, às 17h, tertúlia livre e os festejos se encerram no dia 28, no CTG Campeiros do Sul, com entrega das premiações e homenagens e o fandango, onde a atração musical será o Grupo Rebenque.

Resgatando: busca da Chama versus rondas e acampamento

Por muitos anos o tradicionalismo de Alvorada buscava a Chama Crioula na Trincheira dos Farrapos (Viamão). A cidade tinha dois CTGs (Campeiros do Sul, fundado em 1960, o pioneiro de Alvorada e o Chilena de Prata, fundado em 1985, o pioneiro de Alvorada pós emancipação), até o ano de 1997, quando já existiam sete CTGs e alguns piquetes. Mas em 1998, foi dado um grande passo. Não existia a Subcoordenadoria mas os CTGs locais eram liderados por Elio Lemes e no começo daquele ano, a decisão era “buscar a chama crioula em algum lugar histórico do Estado ou até fora dele, já naquele ano”. E a primeira busca foi na Fazenda Boqueirão, em São Sepé, onde arde um fogo de chão por mais de 200 anos de forma ininterrupta. Em algumas oportunidades, a Primeira Região Tradicionalista contou com os campeiros de Alvorada para buscar a Chama Crioula para os Festejos de Porto Alegre. Portanto, esta foi a 21ª busca da Chama Crioula.

As rondas crioulas aconteciam de forma itinerante nos CTGs e o fandango oficial, também de forma itinerante, acontecia em alguma entidade tradicionalista local.

O Acampamento Farroupilha não existia, mas, a primeira tentativa, em reunião dos tradicionalistas, com a participação do então prefeito municipal João Carlos Brum, aconteceu em meados de abril de 2006 no CTG Amaranto Pereira, onde este propôs “um mini Acampamento Harmonia”, com a proposta de que cada CTG ganharia seu galpão, estrutura de água, luz, sonorização no palco principal e a segurança da Brigada Militar. Mas as entidades tradicionalistas neste ano preferiram continuar com as rondas crioulas nos CTGs. Mas o município fez um galpão, com rodas de chimarrão, cantorias, fogo de chão e tertúlias, na Praça João Goulart. Mas em 2007, o prefeito fez nova proposta aos CTGs e neste ano aconteceu primeiro Acampamento Farroupilha Sócrates Carvalho, que teve em torno de 25 galpões (CTGs, piquetes, bolichos (comércio) e partidos políticos). Em 2019, o 12º Acampamento Sócrates Carvalho conta com 54 galpões (11 CTGs, oito bolichos, 34 piquetes e um partido político) e a novidade, na entrada principal do acampamento, está afixada uma placa que diz “capacidade de população permitida – 3019 pessoas”. Em 2018 tivemos um total de 48 galpões instalados.

COMENTÁRIOS ()