Sbado, 15 de Agosto de 2020 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


CTG Sentinelas do Pago

Em consonância com as regras, decretos e orientações das autoridades sanitárias da nossa cidade, Estado, País e Organização Mundial da Saúde, que recomenda o “fique em casa” devido à pandemia do Coronavíeus, o CTG Sentinelas do Pago te convida para o evento “almoço – pague e leve”, que será no domingo, dia 03 de maio. Faça a sua reserva com o Patrão Alex pelo fone (51) 984.357.113. O vivente pode ir buscar ou então usar o serviço de tele entrega gratuito. O CTG fica na Rua Porto Alegre, 216, no bairro Maria Regina.

Os dez maiores gaiteiros da gaita-ponto (3)

Vamos dar continuidade, abordando um assunto que mexe com os tradicionalistas, neste recesso forçado pela pandemia do Coronavirus. A enquete foi feita pelo meu amigo Léo Ribeiro de Souza, no seu sítio, com a participação de tradicionalistas e seguidores e é apenas um registro em ordem alfabética, formado por muitas opiniões (todos os participantes da enquete. Então vamos:

4 - Gilberto Monteiro – O Mestre dos Mestres. Considerado por muitos como “O Melhor de Todos”, o santiaguense Gilberto Monteiro coloca sua alma na ponta dos dedos. É bonito por demais ver-lhe tocar sua botoneira devido a sensibilidade a flor da pele e os sonidos que só ele consegue tirar de uma gaita de botão. Aparece em todas as listas de nossos leitores na escolha dos Dez Mais. É autor de verdadeiros clássicos na botoneira como: Pra Ti Guria, Milonga Para As Missões, Alumiando As Maçanetas, e outras. Tem estilo e características só suas.
5 - Oscar dos Reis - O Professor. A maioria dos grandes gaiteiros contemporâneos tiveram instruções sobre o instrumento (gaita de botão, cromática ou piano) com Oscar dos Reis. Foi (e é) o mestre, na acepção da palavra, de dezenas de acordeonistas gaúchos. É um aficionado pelo instrumento e, nesta condição, viajou pela Europa toda, em busca de conhecimento para retransmiti-los aqui na querência de São Pedro. Acompanhou com sua “pianada” verdadeiros ícones da musicalidade gauchesca como Honeyde Bertussi e Edson Dutra. Mora em Caxias do Sul, onde ministra suas aulas.
6 - Pedro Raymundo - O Pioneiro. Pedro Raimundo foi o precursor dos gaiteiros rio-grandenses, embora catarinense de nascimento (nasceu em Imaruí). Foi um dos maiores divulgadores, através de sua sanfona cromática, das tradições de nosso pago. Em evidência nos anos 40 e 50, principalmente com a música Adeus, Mariana. Iniciou-se com música gauchesca, e, transladando-se para o Rio de Janeiro ficou conhecido como o gaúcho alegre do rádio. Mas, com o tempo, na esteira do sucesso de Luiz Gonzaga, e por influência deste, passou a apresentar-se com trajes nordestinos e acrescentou o baião e outros ritmos populares na época a seu repertório. Fonte! Este chasque é de autoria do meu amigo Léo Ribeiro de Souza, publicado em seu sítio. Abra as porteiras clicando e absorvendo o manancial de cultura ali postado: www.blogdoleoribeiro.blogspot.com.

COMENTÁRIOS ()