Quarta-Feira, 12 de Agosto de 2020 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


CTG Gildo de Freitas

A primeira iniciativa foi um sucesso. E o CTG Gildo de Freitas vem com outro “busque o seu kit par o seu almoço caseiro”. Será no dia 17 de maio, composto por espeto misto (porco, frango, salsichão) e salada de maionese, que serve para duas pessoas (a R$ 25,00). Outra opção é o espeto de costela com salada de maionese (R$ 35,00) e também serve duas pessoas. Reservas antecipadas pelo (51) 992.294.735. NÃO SERÁ PERMITIDO o consumo no local. O CTG fica na Rua Gamal Abdel Nasser, no Parque dos Maias, em Porto Alegre.

A desgraça de um incêndio em Caxias do Sul

Não bastasse a clausura, o “fique em casa” devido a pandemia do Coronavíruls, o GTCN Velha Carreta, do bairro Forqueta de Caxias do Sul teve o infortúnio de ver o seu galpão ser destruído por um incêndio na noite do dia 30 de abril. Mas como a solidariedade da gauchada brota na flor da pele, esta está vindo dos quatro cantos do Rio Grande. E se Deus quiser, em breve, a entidade tradicionalista da Serra Gaúcha, terá um novo galpão de eventos e palco da cultura do Rio Grande novamente.

Os dez maiores gaiteiros da gaita-ponto (final)

Vamos dar continuidade, abordando um assunto que mexe com os tradicionalistas, neste recesso forçado pela pandemia do Coronavirus. A enquete foi feita pelo meu amigo Léo Ribeiro de Souza, no seu sítio, com a participação de tradicionalistas e seguidores e é apenas um registro em ordem alfabética, formado por muitas opiniões (todos os participantes da enquete. Então vamos:

8 - Renato Borghetti - O Divulgador. Renato Borgheti, ou o Borghetinho, como é mais conhecido, é o maior divulgador da gaita de botão e da música instrumental como um todo, do Rio Grande do Sul, mundo a fora. Começou a fazer sucesso com a gravação de “Milonga Para as Missões”, de Gilberto Monteiro. Seu primeiro LP bateu record de vendas para composições exclusivamente instrumentais. Fez e faz shows com os maiores nomes da música brasileira. Por influência de Borghetti dezenas de novos acordeonistas surgiram no Estado. Mantém uma escola musical (Fábrica de Gaiteiros) para gaita ponto em Guaíba.
9 – Tio Bilia – o Missioneiro. Tio Bilia não pode ficar de fora de lista alguma ao se falar de gaita ponto. Missioneiro da pura cepa crioula, foi o grande mestre de várias gerações de gaiteiros não só daquela região de terra vermelha como de resto, todo o Rio Grande. Faltam palavras para descrever a importância deste saudoso gaiteiro. É contemporâneo de grandes tocadores como Virgilio Pinheiro, Belizário, Virgilio Leitão, Adão Lanes, Neneca Gomes, os Irmãos Pato, Reduzino Malaquias, Tio Pedrinho e seguem os passos do velho patriarca diversos descendentes que formam a Família Bilia, executores, em sua maioria, de Gaita de botão.
10 - O décimo escolhido fica por conta e opinião de cada um dos leitores, pois são tantos e tão capacitados os acordeonistas rio-grandenses que seria ousadia de nossa parte determinarmos seus nomes e limitarmos sua quantidade. Ele pode ser qualquer um dos mais de 50 que citamos na postagem, ou mesmo muitos que não relacionamos, em face do grande número de grandes acordeonistas de uma “Oito Socos”. Parabéns a TODOS.

Fonte! Este chasque é de autoria do meu amigo Léo Ribeiro de Souza, publicado em seu sítio. Abra as porteiras clicando e absorvendo o manancial de cultura ali postado: www.blogdoleoribeiro.blogspot.com.

COMENTÁRIOS ()