Quinta-Feira, 22 de Abril de 2021 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


Quantos tradicionalistas ativos temos no Rio Grande do Sul?
Quantos tradicionalistas ativos existem no Rio Grande do Sul? Para responder esta pergunta, o Movimento Tradicionalista Gaúcho e a Fundação Cultural Gaúcha uniram forças e realizaram ampla pesquisa ao longo dos últimos meses. Com assessoria da equipe do sistema MTGNet, utilizado para gestão das entidades, a metodologia levou em consideração o número de cartões tradicionalistas expedidos e os demonstrativos apresentados pelas 30 Regiões Tradicionalistas. Conclusão: são 66.100 tradicionalistas.
O estudo é dividido por Região Tradicionalista (RT). A mais numerosa, com 5.747 tradicionalistas ativos, é 25ª RT, seguida da 7ª RT, com 5.132 e 1ª RT, com 4.553. Em quarto lugar aparece a 23ª RT, com 4.043 tradicionalistas ativos e em quinto lugar, a 13ª RT, com 3.834. Segundo Maxsoel Bastos, que conduziu o trabalho de pesquisa e levantamento de dados, números precisos são fundamentais para a tomada de decisões.
A 25ª RT compreende a região de Caxias do Sul; a 7ª de Passo Fundo, a 1ª Porto Alegre e região metropolitana; a 23ª região do litoral norte e a 13ª a região de Santa Maria. Fonte! Chasque publicado no sítio oficial do Movimento Tradicionalista Gaúcho o Rio Grande do Sul - https://www.mtg.org.br, em 25 de janeiro de 2021.
Nossa opinião! É um trabalho palpável, com dados reais (cartões tradicionalistas emitidos). Ou seja, são os associados das entidades tradicionalistas com o seu cartão tradicionalista. Mas sabemos que temos muito mais tradicionalistas, que são associados no seu CTG ou entidade afim, em dia com as obrigações financeiras e sem cartão tradicionalista (é o meu caso) e também temos os simpatizantes, que não são associados mas militam neste que é o maior movimento cultural do planeta (segundo a Onu). Logo, temos centenas de milhares de tradicionalistas em todo o Rio Grande do Sul.
MTG libera trabalho de narradores
Por 17 votos favoráveis, nenhum contrário e três abstenções, o conselho diretor do O Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul aprovou a alteração no Inciso IX do Artigo 49 do Regimento Interno do Departamento de Narradores, que previa exclusividade de atuação de seus membros para eventos de entidades filiadas ao MTG.
Na prática, isso permite que os profissionais possam trabalhar em rodeios de entidades não filiadas, como a Federação Gaúcha de Laço. A decisão havia sido aprovada pelo Departamento de Narradores, mas precisava ser chancelada pelo conselho. O vice-presidente Campeiro do MTG, Adriano Pacheco, que trabalhou intensamente nos bastidores pela aprovação da medida, comemorou a decisão.
"Oferecer novas oportunidades de trabalho aos nossos narradores era vital para que todos possam superar as dificuldades trazidas pandemia. Agradeço e parabenizo o nosso diretor Ricardo Favin, pelo empenho em lutar pela aprovação da medida", observa Adriano, que no dia 19 de fevereiro visitou o evento da Estância Liberdade, em Rolante, organizado pelo criador de cavalos crioulos Evaldo da Rosa, membro da diretoria da ABCCC (Associação Brasileira dos Criadores de Cavalos Crioulos. Chasque de Giovani Grizotti, remetido pela Assessoria de Imprensa do MTG, por Sandra Veroneze.negritonegrito

COMENTÁRIOS ()