Sábado, 24 de Junho de 2017 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


Das comemorações da semana passada, destaco o dia 15, do Esperando e do Jardineiro!
Do Esperanto porque considero esse idioma a linguagem dos anjos, programada por Deus, revelada em 1887 pelo médico e linguista judeu-polonês Dr. Lázaro Luís Zamenhof, com a finalidade de facilitar a comunicação entre a humanidade, unindo todos os povos do mundo num só idioma, sem que nenhum perdesse a sua cultura verbal.
Realmente esse ideal é algo fantástico, pois aproximaria as pessoas de todos os idiomas por um só, não precisando alguém ter que saber todos os idiomas da terra, coisa impossível ou tantos quantos idiomas fosse necessário para se comunicar no mundo por interesse cultural ou profissional, bastava saber duas línguas a sua e o Esperanto, com isso não erro e dizer que o mundo seria outro.
A ONU deveria tomar peito nessa investida, de influenciar a que todas as nações colocassem no currículo escolar de primeiro e segundo graus, o Esperanto, pela nobre razão de que essa língua chamada corretamente de idioma artificial, cumpriria de forma mais civilizada e sem risco de abalar psicologicamente nenhum ser, o papel do entendimento entre as pessoas em qualquer território, sem a perda da identidade cultural.
Sim, porque aprendi com mestres que estudando o idioma de qualquer nação, o estudante passa a assimilar consciente e inconscientemente a cultura do estrangeiro suplantando a sua, porque para flexionar na verbalização noutro idioma, tense que pensar como o sujeito estrangeiro. Por isso as grandes potências que mandaram e mandam no mundo hoje, impõe que falem o seu idioma e não ao contrário. Foi assim na idade média com o Português, o Espanhol, depois o Francês e é agora o Inglês, e em breve o Chinês virá impondo o seu mandarim, e isso é uma agressão na personalidade cultural dos seres.
Dai reside a maior importância do Esperanto, que não sendo um idioma cultural de nenhuma nação, ninguém corre o risco de ser colonizado, de perder a sua personalidade cultural.
Muito bem, e o que o jardineiro tem ha ver com isso? Simples o jardineiro é alguém que pode se comunicar pelo idioma das flores, porque plantar uma rosa em qualquer jardim terá a mesma essência aromática, o mesmo perfume. Ademais creio que o Dr. Zamenhof o Pai do Esperanto, de certa forma foi um jardineiro, que plantou e fez germinar a semente de um idioma que tem a paz das flores do campo de qualquer país. Que se relaciona sem agredir a raiz cultural dos povos, das gentes. Chasque Regionalismo de Dorotéo Fagundes desta semana

CTG Amaranto Pereira
O CTG Amaranto Pereira e a Academia Alma Gaúcha programaram para o dia 31 de dezembro (virada) o Revellion Gaudério. No palco o Grupo Coração Gaúcho. Contatos com Rodrigo pelo fone 3447.5211. O CTG fica na Rua Celso Lemes da Silva, 520.

Missão Cumprida
Está na hora de efetuarmos o nosso balanço, pois na curva da vida está chegando o ano de 2015. Faça o seu balanço e leve para este natal e ano novo os bons fluidos e coisas boas que o ano de 2014 lhe proporcionou.

COMENTÁRIOS ()