Domingo, 23 de Abril de 2017 |

Colunista


Tradição e Cultura


Valdemar Engroff


gaucho.valdemar@pop.com.br


De onde vem a palavra “Gaúcho”?
O Jornal Zero Hora do dia 28 de janeiro, em sua pág. 44 (Almanaque Gaúcho) escrito interinamente por Antônio Goularte, nos traz uma interessante matéria sobre a origem da palavra Gaúcho, a qual reproduzimos na íntegra.

Tudo indica que não existe no Rio Grande do Sul uma etimologia mais controvertida que a relacionada ao vocábulo "gaúcho". Até um dos expoentes de nossa cultura no século passado, Augusto Meyer (1902 - 1970), realizou minuciosas pesquisas, apontou inúmeras versões, mas deu o assunto por encerrado sem adotar nenhuma. O mineiro Guilhermino César (1908 - 1993), um riograndense por adoção, viu o caso como um "quebra-cabeça". Na década de 1920, o mestre João Ribeiro já chegara a uma conclusão semelhante quando o considerou como um "problema insolúvel". Mais recentemente, quando perguntaram a Barbosa Lessa sobre a origem da palavra, ele respondeu: "Ninguém sabe". Citou o professor Fernando Assunção, que reporta ao francês "gauche" (esquerdo), mas sem muita convicção.

Dois estrangeiros, nossos vizinhos e interessados diretamente na matéria, foram um pouco além. O argentino Costa Alvarez - conforme pesquisas de Carlos Reverbel - chegou a encontrar 25 etimologias da palavra, e o uruguaio Buanaventura Caviglia Hijo ampliou esse número para 36, Segundo ele, a origem pode ter vindo nada menos do que 17 idiomas, do castelhano ao latim, passando por tupi-guarani e árabe. No final, Hijo concluiu que gaúcho vem de "garrucho", portador de garrocha (a nossa garrucha).

Temos ainda mais duas opiniões de estrangeiros. O chileno Rodolfo Lenz indica a palavra araucana "cachu" ou "cauchu" como possível origem. E o argentino Paul Groussac optou por "guacho". Em resumo, até agora, parece que ninguém se entendeu.

Sobre um aspecto do caso, porém, não pairam dúvidas. Durante mais de um século, a palavra "gaúcho" teve uma conotação nada simpática: marginal, ladrão, vagabundo, contrabandista coureador, aquele que saqueava fazendas só para roubar o couro das reses, que chegou a vale quatro vezes o preço do gado em pé. Hoje, a palavra é tratada com orgulho e respeito por todos os rio-grandenses e está presente, em tom maior, no nosso cancioneiro: "Eu sou gaúcho, eu sou do sul...". Fonte! www.blogdoleoribeiro.blogspot.com.

CTG Sentinelas do Pago
Teremos neste sábado, em pleno carnaval, jantar campeiro no CTG Sentinelas do Pago. Após, arrasta-pé campeiro até a madrugada. O CTG Sentinelas do Pago fica na Rua Porto Alegre, 816, no bairro Maria Regina.

CTG Coxilha Aberta
E as bailantas continuam no CTG Coxilha Aberta, aos domingos, a partir das 15h, com o Zezinho Furquim na gaita e Luciano Macedo no violão. Informações pelos fones (51) 9113-3671 ou 8456-2210. O CTG fica na Av. Silvestre Félix Rodrigues, 1285, no bairro Costa e Silva, em Porto Alegre.

Rodeio Crioulo de Vacaria
Encerrou-se no último final de semana, o 31º rodeio crioulo internacional de Vacaria e um grande prêmio foi conquistado por um guri de Alvorada. Trata-se de Renan Gomes Rousado, de apenas 9 anos, filho do gaiteiro do Grupo Marca de Campo Juares Rousado e Celsa Gomes. O guri conquistou o segundo lugar na modalidade gaiteiro mirim.

COMENTÁRIOS ()