Sábado, 18 de Novembro de 2017 |

Apesar de reparos, buracos voltam e ruas do município continuam em estado precário

Problemas são comuns em vários bairros do município

Por Redação em 07 de Julho de 2017

"Motoristas circulam na contramão na Rua Hermínio Machado, no Algarve, devido aos buracos" (Foto: Rene Almeida)


“Tu sai de um e entra noutro”. Esta frase do motorista de ônibus Claudemir Ferreira resume o sentimento dos condutores que circulam por Alvorada. É tanto buraco que não tem para onde correr. As avenidas Getúlio Vargas e Frederico Dihl e as ruas Hermínio Machado, Cedro e Baronesa do Gravataí são apenas alguns poucos exemplos de vias esburacadas que geram reclamações constantes dos alvoradenses.

Algarve

Logo na entrada do bairro Jardim Algarve, os motoristas já se deparam com um buraco que ocupa metade da pista. Em meio a um trecho bastante prejudicado (localizado em frente a uma parada de ônibus), os condutores são obrigados a trafegar pela contramão para tentar diminuir o prejuízo. Recentemente, a prefeitura realizou uma ação de tapa-buraco com asfalto no local, mas após as seguidas chuvas o problema voltou.

Maria Regina

Na Rua Baronesa do Gravataí, no bairro Maria Regina, a situação se repete. O detalhe é que a via recebeu a operação tapa-buracos da prefeitura no mês de fevereiro, mas mesmo assim os veículos são obrigados a transitar em velocidade mais baixa que o normal por conta do asfalto deteriorado.

Cedro

Já na Rua Cedro, no bairro de mesmo nome, os problemas são antigos. “Esses buracos têm mais de ano e ninguém vem arrumar. Os moradores que colocam uma terra aí, mas a prefeitura não aparece para arrumar”, reclama o motorista Claudemir. Os afundamentos no asfalto e no paralelepípedo que pavimentam a via tomam conta de toda a pista na altura do campo do Tarumã. Não há para onde fugir literalmente.

“As ruas de Alvorada nunca estiveram tão ruins. Não tem o que dizer. São muitos buracos. Os nossos ônibus estão sucateados por causa disso. As pessoas reclamam, mas como é que vão manter o ônibus inteiro com isso?”, questiona Claudemir. O motorista acredita que este sempre foi um problema na cidade e diz ser um fenômeno comum a todos os bairros por onde circula. “Puxar viagem atrasado é uma das consequências. Tu não pode correr, se correr vai quebrar uma mola ou alguma coisa e vai tem que pedir outro carro”, comenta.

Uma das avenidas citadas pelo motorista é a Getúlio Vargas, a qual define o trecho localizado na parada 55 como “queijo suíço”, devido a grade quantidade de buracos. No local citado, o asfalto está precário nos dois sentidos. Vale lembrar que a Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV), já em fevereiro projetava operações tapa-buraco em avenidas como Frederico Dihl, Maringá, Tiradentes e Getúlio Vargas.

Reparos

O secretário da SMOV, Valdemir Martins, informa que todas as ruas citadas estão na programação para receberem reparos. Além disso, a SMOV vem realizando serviços como limpeza de bueiros e patrolamento de ruas há algumas semanas. A rua Ana Axelrud, no bairro Maria Regina, foi uma das que recebeu reparos.

COMENTÁRIOS ( )