Tera-Feira, 02 de Maro de 2021 |

Banheiro público da Praça João Goulart sofre com problemas de higiene e manutenção

Segundo relatos, muitos alvoradenses preferem pagar para usar os banheiros dos comércios da região

Por Redação em 05 de Fevereiro de 2021

"A ideia de Correa é, assim que possível, poder derrubar aquele banheiro e construir outro novo no local" (Foto: Guilherme Wunder)


A Praça João Goulart é o ponto de encontro de centenas de alvoradenses no final de semana. Devido ao seu alto fluxo de pessoas, o espaço conta com um banheiro público para melhor atender a comunidade. Contudo, ao longo dos anos, o local sofre com a falta de manutenção – tanto dos equipamentos quanto de higiene – ao ponto de muitos optarem por pagar e usar banheiros de comércios da região.

Histórico

Em outubro de 2016 o Jornal A Semana já havia denunciado o descaso com o banheiro público da Praça. Na época, tanto os funcionários responsáveis por cuidar do espaço quanto à população em geral tinham reclamações a fazer. Elas iam desde a falta de papel higiênico até a ausência de pia, trocador e problemas com o vazamento de água. Isso tanto no masculino quanto no feminino.

Na época, a Prefeitura informou que realizava manutenções regularmente de acordo com as suas condições, e solicitou a colaboração dos usuários do espaço para que se mantivessem a limpeza e as boas condições do local. Já em 2017 foi anunciado, através de uma série de obras, que um novo banheiro seria construído. As obras começaram naquela época, mas até hoje o prédio não foi concluído.

O parecer da comunidade

Na manhã de quarta-feira, 03/02, a reportagem do Jornal A Semana esteve na Praça João Goulart para averiguar a situação em que se encontra o banheiro. Na ocasião foi possível ver que faltam materiais de higiene e que existem vazamentos. Além disso, faltam tampas nos vasos sanitários e, no banheiro masculino, falta o ralo. Isso faz com que exista um buraco no chão que coloca em risco a segurança.

Segundo Rogerio da Silva, que estava caminhando na praça, falta alguém para cuidar o espaço de maneira efetiva. “Já precisei usar o banheiro algumas vezes, mas pior que tinha de melhorar. No início tinha um guarda que cuidava sempre, mas desde que falaram de construir um novo esse ficou abandonado. Falta um guarda para cuidar e fiscalizar”, salienta o alvoradense.

Essa opinião é a mesma de Ariovaldo Santos, que afirma ter medo de usar o espaço e opta por pagar para usar os banheiros da região. “Eu não uso, porque não tem condições. Eu prefiro pagar para usar o banheiro dos comércios. Aqui está um nojo e não tem condições nenhuma de usar. A gente tem ânsia de vomito quando entra dentro desse banheiro”, afirma o aposentado.

Isso não é diferente do banheiro feminino. Pelo menos isso é o que conta Ana Lucia da Silva, que também usa a praça para lazer. “Falta limpeza e é bem abandonado. Falta tudo e é perigoso de usar. Era preciso um guarda fixo e alguém para manter o lugar limpo. O banheiro feminino é horrível. Podiam pelo menos manter ele limpo”, desabafa.

Respostas do Executivo

A reportagem conversou com o secretário de Serviços Urbanos (SEMSU), José Luís Correa, que afirmou ter ciência dos problemas. “Nós estamos acompanhando ele. A gente estava sem retorno da empresa para cuidar do espaço, mas agora nós colocamos dois servidores para cuidar do local. Contudo, a nossa ideia é que aquele banheiro seja extinto quando o novo ficar pronto”, justifica o titular da pasta.

Para isso, estão sendo feitos estudos e as mudanças devem ocorrer somente depois que o novo banheiro – anunciado em 2017 – ficar pronto. As obras foram retomadas e a previsão apresentada pela Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude (SMCEJ) é de que sejam concluídas até abril.

COMENTÁRIOS ( )