Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2021 |

Entidades se únem com objetivo de levar um feliz natal para família que perdeu tudo o que tinha em incêndio

Fogo queimou toda a casa e pertences da família Oliveira em apenas 12 minutos no Jardim Algarve

Por Redação em 04 de Dezembro de 2020

"Conforme relato dos vizinhos fogo iniciou no telhado da casa" (Foto: Matheus Pfluck)


A tarde do domingo, 22 de novembro Maiara Oliveira dos Santos, nunca mais vai esquecer. Neste dia, em apenas 12 minutos, um incêndio consumiu a casa que abrigava ela e seus quatro filhos, junto com todos os seus pertences. No entanto, para surpresa da família, o que se tornava um pesadelo com futuro incerto, uma força-tarefa promovida por entidades do Bairro Jardim Algarve está reunindo e angariando doações para que a família tenha um novo lar, talvez, até o Natal.

Num terreno da Rua 16, no Bairro Jardim Algarve, existem duas casas. Na primeira moram Eliane Oliveira e seu filho e, na casa dos fundos, Maiara e sua família. Conforme relatos dos vizinhos, o fogo iniciou no telhado da casa e em pouco tempo se espalhou por toda a residência, mas não atingiu a casa da mãe de Maiara. “Tudo o que tinha dentro foi queimado não tive tempo de resgatar nada. Minhas roupas, dos meus filhos, tudo queimou”, explica.

A força-tarefa é promovida por membros da Paróquia da Igreja Católica Romana Santa Hedviges; ARECUJA, ONG Madrinhas do Bem e do CTG Amaranto Pereira. Todas essas entidades são do Bairro Jardim Algarve.

Para o padre Maikel Herold, que está em Alvorada desde o primeiro semestre deste ano, o objetivo do trabalho é a empatia, ou seja, se colocar no lugar do outro. “Nós como igreja temos a fé de Cristo que nos chama a viver a caridade. Não há dúvidas. Então acho que esta motivação humana da empatia, mas também a questão da caridade cristã que nos chama a fazer isso”, fala.

Tudo o que é arrecadado pelos fiéis da Paróquia é repassado para Yandora Forni, responsável pela ONG Madrinhas do Bem. “Eu recolho todas as doações, repasso para a Maiara para fazer uma seleção e tudo o que ela não for aproveitar encaminhamos para outras famílias que necessitem ou moradores de rua”, explica.

Alguns materiais necessários para a construção da casa já foram doados, faltando ainda 140 pedras grossas para a fundação, seis metros de areia regular, mil tijolos, 18 telhas de brasilit (seis mm), 12 guias de 15/5/40 de eucalipto para o telhado, oito cabos 5/5/40, 15 sacos de cimento e dois metros de brita, como conta César Freitas, do Arecuja. “Isso é o grosso, depois tem a questão do sanitário, a fiação elétrica e vai indo, mas se até o Natal tivermos levantado as paredes e colocado o telhado, já melhora para entrar o ano com um pensamento mais positivo”, afirma. Freitas ainda lembra que toda a lista de materiais necessários está nas Madeireiras Zanotteli e RF.

Emocionada e grata por esta verdadeira rede de solidariedade, Maiara conta que ficou surpresa com a bondade de pessoas desconhecidas e tudo isto está passando como lição para os seus filhos. “Acho muito importante conversar sobre isso com eles para saber que pessoas estão nos ajudando e fazendo o bem”, conclui.

Já sua mãe, Eliane Oliveira acredita que são merecedores de todo este auxílio porque ajudam os outros vizinhos quando necessitam. “Não imaginei que toda a comunidade pudesse ajudar como estão fazendo, gratidão a todos. Porque é ela com quatro filhos e eu com o meu filho e na verdade só está eu e meu filho trabalhando então pensou que teríamos um futuro bem complicado”, termina.

Quem quiser ajudar com os materiais necessários pode entrar em contato pelo fone: 51.994480424

COMENTÁRIOS ( )