Quarta-Feira, 21 de Abril de 2021 |

Rua 34 sofre com a falta de manutenção e Prefeitura não apresenta previsão para melhorias

Região foi visitada pelo Jornal A Semana em julho e a data estipulada para o tapa-buraco não foi cumprida

Por Redação em 12 de Março de 2021

"Moradores esperam há pelo menos oito meses – data da última reportagem – por investimentos" (Foto: Guilherme Wunder)


Sempre que o Jornal A Semana vai as ruas para falar de problemas que os alvoradenses têm, existe a premissa básica de conversar com os dois lados da história. No caso de manutenção viária, sempre é conversado com alguém da Prefeitura para saber se existem perspectivas de manutenção. Contudo, existem ocasiões onde os prazos apresentados não são cumpridos. É o caso da Rua 34, no Jardim Algarve.

Histórico

Em julho de 2020, o Jornal A Semana percorreu diversas vias do Jardim Algarve. Umas delas era a Rua 34. Lá foi possível ver que os moradores que tapam os buracos com pedras e restos de obras. Segundo Leisa Vieira, também faz anos que a administração não aparece na região. Senão fosse os moradores, poderia haver acidentes ou carros quebrando devido aos buracos.

Na época, a dona de casa explicou que seria de suma importância que a Prefeitura viesse consertar os problemas. “Faz muito tempo que eles não arrumam. Faz 16 anos que moro aqui e, quando cheguei, era uma rua lisinha e sem buraco. Depois disso, nunca mais vieram aqui. Se tu reparares, tem restos de obras tapando os buracos. Nós temos que cuidar da nossa frente para não deixar a rua tão ruim”, justifica Leisa.

Depois de visitar o local, a reportagem conversou com o secretário de Obras e Viação (SMOV), Rogério Negreiros, que previu melhorias na região. “Nós estamos para assinar o contrato com a empresa que vai fazer o tapa-buraco. Isso deve acontecer nos próximos 15 dias e aquela região está no cronograma. Diversas ruas do Jardim Algarve serão contempladas”, afirmou o titular da pasta.

Oito meses depois...

Na terça-feira, 09/03, a reportagem do Jornal A Semana voltou ao local. Isso oito meses após a primeira visita. Contudo, ao chegar no local, foi possível averiguar que não houve nenhuma operação tapa-buraco desde a última visita. Além disso, conforme relatos de moradores, nenhuma equipe da Prefeitura realizou vistoria ou manutenção nos últimos meses.

Um dos moradores entrevistados foi Sergio Francisco, que lamenta o descaso com a região. “Sempre foi assim. Esse asfalto nunca foi concluído. Essa é apenas a primeira camada, mas nunca finalizaram a obra. Muitos dos remendos são os moradores que fazem com restos de obra. Seguido a gente vê motoqueiro se machucando aqui, porque está muito ruim”, enfatiza o servidor público.

Já Carlos Alberto conta que faz muitos anos que a Prefeitura não visita o local. Eu já pedi para vereadores virem aqui arrumar, mas o último que veio foi o Caibaté (risos). Infelizmente a gente sofre há anos com esse estado. Ninguém passa nem perto da nossa rua. Quando eles vêm, colocam uma brita e acham que está pronto, mas quem sofre com o descaso são os moradores que pagam seus impostos”, finaliza o aposentado.

Respostas do Executivo

A reportagem conversou novamente com o secretário de Obras e Viação (SMOV), Rogério Negreiros. Ele explicou que, devido a falta de orçamento, não foi possível realizar a manutenção da via no prazo estipulado. Segundo o titular da pasta, a ideia é promover a operação tapa-buraco na região assim que possível, mas não quis apresentar nenhum prazo para as melhorias.

COMENTÁRIOS ( )