Quarta-Feira, 27 de Janeiro de 2021 |

Videomonitoramento completa primeiro ano no município e divide opiniões de moradores

Apesar disso, a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana afirma que houve reduções nos índices de criminalidade

Por Redação em 24 de Dezembro de 2020

"O serviço divide opiniões de moradores que não veem o impacto do serviço na sua vida" (Foto: Guilherme Wunder)


Em dezembro do ano passado, a Prefeitura realizou a inauguração do Centro de Controle e Monitoramento Municipal (CCMM). Este projeto, que começou a ser desenvolvido em 2018, tem o objetivo de monitorar todos os prédios públicos que prestam serviços à população. Entre os locais contemplados estão os postos de saúde, escolas municipais, CRAS e secretarias do governo.

O projeto

São 93 prédios públicos beneficiados e mais de 300 câmeras instaladas e distribuídas de forma estratégica para coibir arrombamentos, vandalismos ao patrimônio público e descarte irregular de resíduos no município. Além disso, foram instaladas 38 câmeras com tecnologia speed-dome, que tem o alcance de até 360º. Outra novidade é o aplicativo ‘Alvorada Digital’, onde é possível monitorar prédios públicos e praças municipais, através de seu smartphone ou pelo site: www.suacidadedigital.com.br.

A sala de monitoramento está equipada com 18 televisores, nobreaks com autonomia de baterias para 48 horas de uso e mesas controladoras. O projeto foi todo desenvolvido pela Secretaria de Administração (SMA), através da contratação por comodato da Smart Tecnologia. Já os equipamentos serão operados por equipes da Guarda Municipal e servidores do Departamento de Informática (DGI) que receberam o treinamento em uma parceria com a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana (SMSMU).

A avaliação do primeiro ano

Para o secretário de SMSMU, Sergio Coutinho, o balanço do primeiro ano é positivo, principalmente quando se fala em descarte irregular – mesmo que ainda existam focos na cidade. “Infelizmente alguns começaram a descartar lixo em outros locais, mas isso não foi na mesma proporção. Também foi possível diminuir os gastos com limpeza. O resultado é muito bom na criminalidade e no lixo”, enfatiza o titular da pasta.

Por causa disso, a Prefeitura trabalha para poder ampliar no futuro. Contudo, devido a ao coronavírus, não há previsão para que isso ocorra. “Nós queremos aumentar, mas devido ao enfrentamento da pandemia a gente não tem dotação orçamentária para ampliar o videomonitoramento. Contudo, temos a ideia de ampliar para outros locais quanto a normalidade retornar”, finaliza Coutinho.

O parecer da comunidade

Segundo Coutinho, houve redução de índices de criminalidade em regiões monitoradas no Bairro Umbu. Contudo, não foram apresentados dados sobre o assunto. Por causa disso, a reportagem foi até o bairro para compreender se teve mesmo alguma mudança na criminalidade. Porém, pode-se perceber que o videomonitoramento divide opiniões dentro do bairro.

Para Sema Ribeiro, que mora há 14 anos no bairro, realmente está mais tranquilo na região onde ela reside – próximo a Escola Normélio. “Ficou bem mais calmo morar aqui agora. Aqui na nossa rua diminuiu bastante a movimentação de pessoas porque algumas famílias foram retiradas. É óbvio que as câmeras ajudam, mas acho que existem outros fatores que interferem nessa queda”, salienta a dona de casa.

Contudo, para Delírio Israel, que mora há 30 anos no bairro e tem um bar na região, não houve mudança e o descarte irregular de resíduos aumentou. “Será que eles pensam que os moradores são tapados? Tiraram os moradores dali e hoje virou um lixão. Se já era de risco antes, agora está muito pior. O certo era usar essas câmeras para pegar quem coloca lixo irregular”, desabafa o comerciante.

Outro local citado pela administração municipal como um ponto que de descarte irregular de resíduos que foi coibido pelas câmeras é no final da Avenida Zero Hora, no Jardim Algarve. A reportagem foi até o local na manhã de quarta-feira, 16/12, e pode perceber que realmente não havia lixo na região. Contudo, próximo ao local, já havia outro foco de descarte.

COMENTÁRIOS ( )