Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |

Alvoroço arrecada 30% do valor total para continuação de gravações do seu novo longa

Sem apoio da iniciativa privada e poder público, alternativa encontrada foi de promover um projeto de financiamento coletivo na internet

Por Redação em 19 de Maio de 2017

"Grande maioria do elenco que participa das filmagens são moradores de Alvorada" (Foto: Olhar abstrato)


Com o objetivo de terminar seu novo longa metragem “Dormitório” até final deste ano, e com nenhum recurso disponível para continuação das gravações, Evandro Berlesi e seus companheiros, inscreveram o projeto num financiamento coletivo na internet.

A ideia de utilizar a internet como meio de arrecadar recursos para a continuação das gravações aconteceu após a paralização das gravações em janeiro deste ano. O motivo foi falta de verbas vindas de empresários apoiadores do projeto.

Desta forma, desde o dia 9 de maio, a Alvoroço busca doações na internet com o chamado, crowdfunding. De acordo com Berlesi até o momento somente 30% do valor pretendido foi arrecadado. “...sempre foi difícil produzir cinema sem dinheiro, mas com a crise financeira, até quem ajudava antes, já não ajuda mais”, reclama.

Na plataforma Catarse, desde seu início, em 9 de maio, a campanha tem 40 dias para arrecadar o valor total de R$ 6,5 mil. “As cotas de apoio vão de R$ 10 a R$ 500, sendo que cada cota dá direito a alguma recompensa como camisetas, livros, DVD´s, além de cotas com valores mais altos como R$ 1 ou R$ 2 mil destinados a patrocinadores”, explica. Assim, de acordo com Berlesi, a doação acaba sendo uma compra antecipada, além de uma forma segura de apoiar um projeto que inúmeras vezes já levou o nome de Alvorada pelo Brasil a fora. Quem quiser contribuir, basta entrar no site “catarse.me/dormitório” e escolher a sua cota. Os pagamentos podem ser efetuados com cartão de crédito ou boleto, fala. O projeto de financiamento coletivo vai até o dia 18 de junho.

Gravações

O filme conta a história de vidas que se cruzam na rotina obscura de uma cidade dormitório, e tem a participação especial do ator Sirmar Antunes, além de diversos outros atores profissionais. Não contando com orçamento definido e apostando que patrocinadores surgissem ao longo das gravações, Berlesi e o elenco iniciaram as filmagens no mês de novembro do ano passado na Escola Municipal Herbert José de Souza, no Jardim Algarve.

Entretanto o esperado não aconteceu e as gravações foram suspensas por falta de recursos. Já no inicio deste ano, Berlesi chegou a conclusão de que não teria mais condições de seguir o projeto enquanto não fechassem ao menos uma cota de patrocínio para cobrir gastos mínimos como alimentação e transporte.

COMENTÁRIOS ( )