Domingo, 30 de Abril de 2017 |

Ballet Cultuarte se apresenta no hospital Fêmina

Grupo apresentou cinco coreografias além de apresentações temáticas

Por Redação em 10 de Março de 2017

"Participantes do grupo também entregaram flores para os enfermos" (Foto: Divulgação)


A comemoração do Dia Internacional da Mulher contou com uma apresentação do Projeto Ballet Cultuarte no Hospital Fêmina, do bairro Independência, em Porto Alegre. O espetáculo ocorrido na quarta-feira, 08 de março, contou com sete diferentes apresentações e entrega de rosas para as mulheres que estão internadas. A participação das alunas de dança fez parte da programação de ações do hospital para o público feminino.

O grupo se apresentou as seguintes coreografias: O Lago dos Cisnes, Sapatinhos Vermelhos, Paquita, Esmeralda e Rubi, além de apresentações temáticas de gêneros como forró, sonho e tango. Na ocasião, os participantes da oficina da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Juventude estiveram acompanhados da coordenadora do projeto, a professora Jacqueline Navarro. O projeto já trouxe mais de 60 premiações para Alvorada, além de ter participado de diversos festivais
de dança, e ter o reconhecimento da imprensa nacional.

Hospital Fêmina

Dedicado à saúde feminina, o Hospital Fêmina presta cuidados de pré-natal à gestante, realizando partos, tratando dos bebês e das mães com alguma complicação, como hipertensão ou dependência química. A casa de saúde conta com a disponibilidade de 187 leitos.

Também atua no manejo de doenças femininas graves, como câncer de mama, a partir de sua prevenção, e de problemas ginecológicos em geral. Entre os destaques, está a Unidade de Reprodução Humana, que recebe gratuitamente casais com dificuldades de gerar filhos, promovendo em média, por ano, cerca de 140 inseminações artificiais. Além disso, realiza fertilizações in vitro, sendo que, em um ano, 80 pacientes foram submetidas ao processo.

Projeto Ballet Cultuarte

Com turmas abertas pela manhã, tarde e noite, o objetivo do projeto é provar que com dança e a cultura é possível retirar crianças em vulnerabilidade social das ruas. A idade mínima para se inscrever é 3 anos. As aulas, a partir do mês de fevereiro, são realizadas no grupo ao Ginásio Municipal Tancredo Neves.

Estão sendo organizados três núcleos em outros bairros de Alvorada. Duas regiões que vão receber a oficina já foram definidas, nos bairros Maria Regina e Stela Maris.

Os documentos necessários para a matrícula são: Foto 3×4, cópia da certidão de nascimento para menores de idade, identidade ou CNH para adultos e comprovante de residência. Mais informações podem ser obtidas pelo número 3044-8712.

COMENTÁRIOS ( )