Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |

Crítica de Dunkirk

Estreia nesta quinta-feira, 27/07, mais uma produção com proporções gigantescas...

Por Redação em 28 de Julho de 2017

"Filme estreia nesta quinta-feira" (Foto: Divulgação)


Estreia nesta quinta-feira, 27/07, mais uma produção com proporções gigantescas do renomado diretor Christopher Nolan, conhecido pela franquia do Batman de Christian Bale e pelo seu trabalho em A Origem. Agora o longa que o diretor estava trabalhando se chama Dunkirk.

Na trama somos transportados para a Operação Dínamo, que aconteceu na Segunda Guerra Mundial. Esse momento histórico, também conhecido como a Evacuação de Dunquerque, apresenta o resgate de mais de 330 mil homens dos exércitos britânicos. E é esse o pano de fundo para as três histórias que Nolan conta no decorrer do filme.

São três histórias diferentes que, em algum momento, vão se interligar. Algo parecido com o que foi feito no filme Crash. Entretanto, apesar de ser um filme tecnicamente perfeito, com lindas fotografias, atuações seguras e cenas de ação muito bem executadas (algo que era criticado no trabalho de Nolan com o Batman), falta algo.

Creio que faltou construir uma relação entre o público e o elenco. Não que não sejam bons atores, apesar de haverem alguns desconhecidos do grande público, porém faltou ser construído algo que fizesse com que existisse uma preocupação com os personagens. Eu, pelo menos, não consegui me envolver com os protagonistas.

Entretanto, mesmo sem essa relação sendo desenvolvida – talvez pela complexidade das três tramas – Nolan consegue apresentar um dos seus melhores filmes da sua carreira e um dos melhores de 2017. Se você puder, assista em IMAX, pois ele foi filmado para essa tecnologia. Sem falar que, esteticamente, o longa é belo e os planos abertos são lindos.

Estreias da semana
7 Desejos: Neste que é mais um longa de terror que estreia em 2017 acompanhamos Claire, que descobre um caixa mágica com sete desejos. O problema é que o egoísmo da protagonista fez com que ela fizesse apenas desejos pessoas. Devido a isso ela descobre que existe uma entidade dentro da caixa e acontecimentos terríveis começam. A crítica especializada não vem dando boas notas para o filme, sem falar que o mercado do gênero está saturado e com boas produções para o decorrer do ano. Talvez não seja a melhor opção.

Como se Tornar um Conquistador: O filme conta a história de Maximo que, desde criança, sempre quis ser rico sem precisar trabalhar. Para isso ele acaba se casando com uma viúva milionária, que acaba dispensando ele anos depois. Agora, depois de viver sempre no melhor, ele precisa apelar para a irmã Sara, aonde aprende os valores da vida. Com Salma Hayek no elenco, o longa parece apresentar uma trama clichê sobre os valores da vida. Entretanto, comédias como essa acabam encontrando o seu nicho de mercado e pode ser uma grata surpresa.

COMENTÁRIOS ( )