Quarta-Feira, 21 de Abril de 2021 |

Filmes d’A Semana

Crítica de Liga da Justiça – Snyder Cut

Por Redação em 26 de Março de 2021

"Filmes d’A Semana" (Foto: Divulgação)


Senão é um fato inédito, com certeza é raro. Assim podemos começar a falar do Snyder Cut, movimento de fãs da DC que fizeram com que a Warner autorizasse a conclusão do projeto desenvolvido por Zack Snyder que não foi ao cinema. E, para não perder o costume e o bordão, podemos dizer que essa aposta foi uma grata surpresa e que é triste não poder assistir este filme nos cinemas.

Depois de restaurar sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman, Bruce Wayne convoca Diana Prince para combater um inimigo ainda maior. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes -- Batman, Mulher-Maravilha, Aquaman, Ciborgue, e Flash -- poderá ser tarde demais para salvar o planeta.

Antes de mais nada é importante ressaltar que sem os fãs da DC nada disso teria acontecido, então o filme é desenvolvido por um fã e para os fãs. Ele é perfeito? Claro que não. Inclusive existem diversos furos de roteiro e excessos nas quatro horas de filme. Isso é ruim? Claro que não. O filme é muito bom e faz com que muitos queiram esquecer do longa-metragem de 2017.

Existem muitas mudanças no tom do filme, que fica mais sombrio e com menos alívios cômicos – algo previsível tendo em vista o trabalho do Snyder. Contudo, isso não é problema e até condiz mais com a realidade que os heróis estão vivendo. Outra coisa importante que essas horas a mais de filme dão é no aprofundamento dos personagens. Isso faz com que a perspectiva de alguns mude bastante.

Não sei se seria necessária às quatro horas de filme, pois temos cenas “desnecessárias” para a trama, mas como havia esse espaço, Snyder as colocou na versão final. Existem apenas dois momentos que prefiro do longa-metragem de 2017: o embate entre Mulher-Maravilha e Batman sobre o Superman e a chegada da Lois Lane em um momento importante da trama.

No mais, Snyder melhora – e muito – o filme de 2017. Personagens aprofundados e com camadas, as câmeras lentas (amadas por uns e odiadas por outros) e cenas de ação muito bem dirigidas e de tirar o fôlego. Isso tudo é mérito do Snyder, que conseguiu fazer com que um projeto ousado como esse saísse do papel e tivesse o apoio de elenco e fãs.

Infelizmente tudo indica que Snyder não seguirá com o seu universo na DC Comics, que já tinha tido oito filmes relacionados (Homem de Aço, Batman Vs Superman, Esquadrão Suicida, Mulher-Maravilha, Aquaman, Shazam, Arlequina e Mulher-Maravilha 1984). Contudo, depois desse lançamento, eu não duvido que ele seja procurado para retomar o universo que estava criando... E não seria ruim.

Estreias da semana

Druk – Mais uma Rodada: O longa-metragem conta a história de quatro professores com problemas em suas vidas, testando a teoria de que ao manter um nível constante de álcool em suas correntes sanguíneas, suas vidas irão melhorar. De início, os resultados são animadores, porém, no decorrer da experiência, eles percebem que nem tudo é tão simples assim.

Heróis do Fogo: O filme conta a história heroica sobre bombeiros e equipes de resgate. O que chamamos de ato de bravura é apenas uma rotina normal para eles, acostumados ao perigo mortal e o risco extremo. Quando as pessoas em necessidade parecem não ter ninguém para ajudá-las, as equipes de resgate vêm para lutar contra as forças impiedosas da natureza.

COMENTÁRIOS ( )