Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 |

Filmes d'A Semana

Crítica de Lady Bird – A Hora de Voar

Por Redação em 25 de Setembro de 2020

"Filmes d'A Semana" (Foto: Divulgação)


Essa semana entra no catálogo da Netflix um dos melhores filmes de 2018. Estou falando de ‘Lady Bird – A Hora de Voar’, que esteve entre os indicados e vencedores da temporada de premiações daquele ano. A quantidade de bons filmes daquele ano segue trazendo ótimas referências e experiências e agora poderá ser visto ou revisto na plataforma de streaming.

Para quem não sabe, o filme conta a história de Christine McPherson, que está no último ano do ensino médio e o que mais deseja é ir fazer faculdade longe de Sacramento, Califórnia, ideia firmemente rejeitada por sua mãe. Lady Bird, como a garota de forte personalidade exige ser chamada, não se dá por vencida e leva o plano de ir embora adiante mesmo assim. Enquanto sua hora não chega, no entanto, ela se divide entre as obrigações estudantis no colégio católico, o primeiro namoro, típicos rituais de passagem para a vida adulta e inúmeros desentendimentos com a progenitora.

E que filme mais lindo. Primeiro que, antes de começar a escrever, eu acabei aderindo a uma teoria do crítico do canal do YouTube Nerd Rabugento, que diz que, quando uma produção é boa, você não fica desconfortável na cadeira do cinema. E isso é verdade e pôde ser testada durante a sessão do filme que foi indicado para várias categorias do Oscar 2018, como melhor filme, melhor direção e melhor atriz.

O longa-metragem é leve e despretensioso, apesar de passar uma mensagem forte sobre empoderamento, força e determinação. Isso tudo completamente verossímil, onde o público pode se identificar e se apegar a personagem principal e aos seus coadjuvantes. Isso sem falar dos diálogos simples e que, em uma história que tinha tudo para parecer batida, conseguem forma algo complexo e ao mesmo tempo simples e compreensível.

‘Lady Bird – A Hora de Voar’ foi uma grata surpresa daquela temporada de premiações. Com uma direção e atuações concisas, a obra consegue alcançar e superar as expectativas. Na época o filme não conquistou nenhum Oscar, mas esteve indicado em diversas categorias. Além disso, o filme teve o peso de ser um dos com mais indicações e conseguiu lidar muito bem com isso.

Estreias da semana

Fuga de Pretória: O filme relata a história de Tim Jenkin e Stephen Lee, jovens sul-africanos que carregavam a marca de “terroristas” e foram presos por trabalharem em operações secretas para o partido proibido de Nelson Mandela. Estando encarcerados na Prisão de Segurança Máxima de Pretória, eles decidem enviar uma mensagem ao regime do Apartheid. Com planejamento detalhado e a produção de chaves de madeira projetadas para abrir 10 portas de aço, eles foram em busca da liberdade.

Spycies – Agentes Selvagens: O longa-metragem acompanha dois agentes secretos, um gato veterano rebelde e um rato novato que gosta de assistir televisão e jogar videogame. Juntos, eles formarão uma dupla totalmente improvável para investigar o roubo de um objeto secreto e descobrir o que os bandidos realmente desejam.

COMENTÁRIOS ( )