Domingo, 17 de Janeiro de 2021 |

Filmes d'A Semana

Crítica de Tudo Bem no Natal que Vem

Por Redação em 18 de Dezembro de 2020

"Filmes d'A Semana" (Foto: Divulgação)


Leandro Hassum me fez chorar. É assim, com essa manchete forte e que chama a atenção que inicio a crítica do longa-metragem ‘Tudo Bem no Natal que Vem’, que estrou na Netflix no começo de dezembro. Esse é o impacto que o filme traz ao misturar o clima natalino com o sentimento de quem não gosta da data e deixava o melhor, por mais simples que fosse, passar despercebido.

Em ‘Tudo Bem no Natal que Vem’, Jorge, interpretado por Leandro Hassum, é um homem rabugento que sempre odiou o Natal e costuma fazer de tudo para evitar as comemorações dessa data. Na véspera do feriado, ele cai do telhado e bate a cabeça. Quando acorda, percebe que está vivendo o Natal do ano seguinte, e continua revivendo diversos Natais em um ciclo interminável.

O filme utiliza de recursos semelhantes a filmes como ‘Click’ e ‘A Morte te dá Parabéns’. Isso no sentido de reviver sempre o mesmo dia ou de perder coisas simples da vida que, devido a rotina, passam despercebidas ou ainda chatas para a gente. Sabe aquele tio da piada do pavê que ninguém aguenta? Pois é, nesse filme entendemos o motivo de ninguém aguentar, mas também sentimos falta quando ele não está entre nós.

Apesar de alguns clichês como o beijo na chuva, problemas no roteiro – o filme termina em 2031 e não vemos avanços tecnológicos –, e na chroma key; o longa-metragem alcança o seu objetivo de fazer o público rir e se emocionar. No primeiro, Hassum é gênio e o estilo dele ajuda. O riso vem pelas piadas e deboches que geram a identificação com o público-alvo.

Já no drama, ele surpreende. Não que seja um ator ruim, mas é que raramente vemos ele em cenas de drama e nesse filme ele tem espaço para isso. Muito espaço na verdade. Não quero dar spoilers sobre para não atrapalhar a experiência de descobrir tudo junto com o personagem, porém pode-se dizer que ele dá conta do recado. E mais. Ele é humano na sua interpretação.

Tudo isso faz com que ‘Tudo Bem no Natal que Vem’ se torne uma grata surpresa deste 2020, que foi um ano complicado para todos – eles inclusive pulam durante a produção. Por mais que o filme tenha falhas, tudo o que está no entorno compensa. Isso sem falar que é o Brasil reconhecido num filme natalino, sem neve e outras coisas mais. Assistam na Netflix que vale bastante a pena.

Estreias da semana

Freaky – No corpo de um Assassino: Quando um punhal místico faz com que Millie e um assassino em série troquem de corpo, a jovem descobre que possui apenas 24 horas para ter seu corpo de volta antes que a troca se torne permanente e ela fique presa na forma de um maníaco de meia-idade para sempre. O grande problema é que, agora, ela parece uma psicopata imponente que é alvo de uma caçada humana por toda a cidade, enquanto o psicopata se parece com ela e planeja libertar seu apetite por carnificina.

Mulher-Maravilha 1984: O longa-metragem acompanha Diana Prince/Mulher-Maravilha em 1984, durante a Guerra Fria, entrando em conflito com dois grandes inimigos - o empresário de mídia Maxwell Lord e a amiga que virou inimiga Barbara Minerva/Cheetah – enquanto se reúne com seu interesse amoroso Steve Trevor.

COMENTÁRIOS ( )