Tera-Feira, 02 de Maro de 2021 |

Filmes d'A Semana

Crítica de A Pequena Travessa

Por Redação em 15 de Janeiro de 2021

"Filmes d'A Semana" (Foto: Divulgação)


Estamos no período de férias de verão e, devido à pandemia, muitas crianças estão ficando em casa ao invés de irem para as praias ou interior do estado. Por causa disso, hoje trago um texto sobre o filme “A Pequena Travessa”. Essa produção estreou em 2019 no Brasil e agradou ao público que ama animais e uma boa aventura – além de fazer sentir saudades do Doutor Dolittle.

O longa-metragem acompanha Lilli Susewind, uma menina que tem a habilidade de falar com animais, mas fora seus pais, ninguém sabe deste segredo. Quando ela conhece Jess, um menino divertido e misterioso de sua nova escola decide contar para ele. Juntos, os dois precisam achar o filhote de elefante que foi roubado do zoológico da cidade.

Obviamente que este não é um filme para mim e, muitos dos aspectos técnicos que julgo necessário não são correspondidos, mas também não irão desagradar as crianças. É um longa-metragem para elas e garanto que o filme diverte e entretém quem é o verdadeiro público-alvo. Pelo menos foi isso que notei quando o assisti ao lado de crianças.

Contudo, esses problemas não podem passar impunes. O principal pode-se dizer que é o roteiro, que faltam explicações. O telespectador não sabe de onde vêm os dons da protagonista – ela fala com os animais – e os dramas dos personagens. Com isso, não existe a identificação e nem a preocupação com que algo dê errado. Tudo depende da fantasia construída para as crianças.

A imaginação é peça fundamental para que a experiência seja positiva. A amizade das crianças, o pai descolado e a mãe que puxa a orelha, a dona do zoológico. São estereótipos existentes e mantidos com fidelidade pela direção de “A Pequena Travessa”. Com isso, o sucesso para as crianças deve ser grande. Isso devido às férias escolares de inverno.

“A Pequena Travessa” não é um filme feito para adultos, mas sim para as crianças. As chances de elas gostarem são grandes e, se os adultos forem juntos, se permitam imaginar e se desprendam do técnico. Assim será possível ter uma experiência lúdica sobre aventura de crianças, brincadeiras e o bem estar dos animais – temas leves e bem tratados para o público jovem.

Estreias da semana

Pai em Dobro: Após passar toda uma vida junto de sua mãe em uma comunidade hippie, uma jovem, interpretada por Maísa Silva, de 18 anos aproveita a maioridade para tentar realizar um de seus grandes sonhos: conhecer o pai. Ela, então, abandona a comunidade e parte em uma jornada para tentar encontrá-lo. O filme está disponível na Netflix.

Ema: Um coreógrafo está trabalhando em sua nova instalação, que reúne projeções e dança ao mesmo tempo em que enfrenta problemas no relacionamento com a esposa, Ema, uma bailarina que integra sua equipe. Há pouco tempo ambos devolveram à adoção Paco, após ele ter causado um incêndio em casa que queimou boa parte do rosto da irmã de Ema. A situação criou entre eles uma lacuna que os fez se separar.

COMENTÁRIOS ( )