Quarta-Feira, 21 de Abril de 2021 |

Filmes d'A Semana

Crítica de Divaldo – O Mensageiro da Paz

Por Redação em 12 de Março de 2021

"Filmes d'A Semana" (Foto: Divulgação)


O cinema é feito de ciclos. Um claro exemplo é a leva de super-heróis que estão nos cinemas há alguns longos anos ou os faroestes do passado. São levas que vem e vão. Uma das “febres” que vem ganhando força (mas ainda sem tanto investimento) são os filmes com cunho religioso. Recentemente esteve aqui ‘Superação – O Milagre da Fé’ e agora é à vez de ‘Divaldo – O Mensageiro da Paz’.

O longa-metragem apresenta a convivência com a mediunidade desde os quatro anos de Divaldo, que era rejeitado pelas outras crianças e reprimido pelo pai. Ao completar 17 anos, o jovem decide usar seu dom para ajudar as pessoas e se muda para Salvador, com o apoio da mãe. Sob a orientação de sua guia espiritual, Joanna de Ângelis, ele se torna um dos médiuns mais importantes de todos os tempos.

A produção é, tecnicamente falando, muito boa. Consegue entregar boas cenas e atuações convincentes. Talvez a única exceção seja Ghilherme Lobo, que aparenta ter decorado as frases em alguns momentos (soando pouco naturais). Isso também acontece com Regiane Alves e Marcos Veras, mas no caso deles não incomoda tanto, afinal existe um sobrenatural ao entorno deles que remete ao passado.

A divisão do filme em três fases da vida de Divaldo foi um acerto e ela é muito bem dividida: uma criança que não entende o que passa, mas brinca com tudo isso; um adolescente cheio de dúvidas sobre o que quer e como fará isso; e um adulto mais conciso e pleno de suas funções. Tudo isso muito bem dividido, mas focado na juventude (onde as dúvidas e situações embaraçosas mais acontecem).

Contudo, no quesito atuação, o destaque fica para a mãe, interpretado por Laila Garin, que sempre acreditou no filho, mesmo sem compreender o que era. Sua cena final então é de um sentimentalismo que emociona todos os presentes na sessão. Existem outros momentos que foram construídos com este propósito, mas nenhum deles chegou perto deste final.

‘Divaldo – O Mensageiro da Paz’ merece ser visto por todos para que se conheça a trajetória deste homem de 92 anos. Além disso, não é necessário se preocupar: não existe uma doutrinação religiosa no longa-metragem (apesar de pequenas alfinetadas, mas que fazem sentido para a trama). Com certeza é uma boa pedida para quem gosta de histórias reais e brasileiras.

Estreias da semana

Raya e o Último Dragão: Kumandra é um reino habitado por uma vasta e antiga civilização conhecida por ter passado gerações venerando os dragões, seus poderes e sua sabedoria. Porém, com as criaturas desaparecidas, a terra é tomada por uma força obscura. Quando a guerreira Raya, convencida de que a espécie não foi extinta, decide sair em busca do último dragão, sua aventura pode mudar o curso do mundo.

Moxie – Quando as Garotas Vão à Luta: O que acontece quando se junta uma garota de uma cidade pequena do Texas com o movimento feminista? Uma revolução! Inspirada pelo passado da mãe como Riot Grrrl, antiga integrante do feminismo punk dos anos 90, Vivian decide começar uma mobilização na própria escola. O filme é baseado na obra homônima de Jennifer Mathieu.

COMENTÁRIOS ( )