Terça-Feira, 22 de Agosto de 2017 |

Sirmar Antunes recebe honraria no 3º Festival de Cinema Escolar do município

Ator e diretor tem destaque com produção de temáticas sobre a comunidade negra

Por Redação em 10 de Março de 2017


De forma permanente, o Festival de Cinema Escolar de Alvorada/FECEA terá o Prêmio Sirmar Antunes, dedicado ao protagonismo negro no cinema. Homenageado e convidado a entregar o Prêmio Lanceiros Negros na 2ª edição, o Festival presta na 3º edição a honraria enquanto reconhecimento a trajetória de resistência no ofício de ator, engajada a luta por igualdade no campo da arte cinematográfica.

Conhecido por sua destacada atuação como representante da comunidade negra no meio artístico, Sirmar integrou, em 1977, o elenco da peça O Evangelho Segundo Zebedeu, de Cezar Vieira, com direção de Luciano Alabarse. Atuou também em peças como Calabar, de Chico Buarque de Hollanda e Ruy Guerra, em Porto Alegre, vivendo o personagem Henrique Dias, e também no Espetáculo Afro-Latino, um musical sobre raízes negras no Rio Grande do Sul.

No teatro, atuou em peças como O Elogio da Traição, de Chico Buarque de Hollanda e Ruy Guerra, e também em Jornada de um Imbecil até o Entendimento, de Plínio Marcos. Em 1987, Sirmar fundou o grupo de teatro dos Correios e Telégrafos e, em 1988, representou o Rio Grande do Sul no Seminário Nacional de Dramaturgia, que teve como proposta debater o espaço do negro na mídia e a violência policial contra a comunidade negra.

Morou em São Paulo, onde trabalhou na TV Bandeirantes e na Casa Aberta Leide das Neves como voluntário, tornando-se arte-educador para jovens de menor renda, na área do teatro. No ano 2000, de volta a Porto Alegre, teve presença marcante em performances cênicas, como no Tributo a Oliveira da Silveira, em homenagem ao Dia Nacional da Consciência Negra. Também participou como ator no espetáculo de dança Lanceiros Negros.

O artista esteve presente em especiais de TV, curtas e longas metragens e também em espetáculos que, inclusive, renderam-lhe o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Recife, em 2001, pelo espetáculo teatral João Candido Vive.

Apesar do extenso currículo em atuações teatrais, a carreira do homenageado também foi marcada pelo cinema, participando de filmes como Domingo no Grenal, O Dia em que Dorival Encarou a Guarda, Lua de Outubro, Concerto Campestre, Netto Perde Sua Alma e Senhores da Guerra.
O 3º FECEA, iniciativa do Projeto Clube de Projeto de Produção Audiovisual Clube das 5, acontece de forma independente e tem sua cerimônia de premiação marcada para 25 de novembro. As inscrições poderão ser realizadas a partir do mês de maio através site: http://inscfecea.wix.com/fecea-alvorada-rs

COMENTÁRIOS ( )