Sábado, 22 de Julho de 2017 |

Viajando pela Europa, músico Maninho Melo conta suas experiências

Depois de participar de festival na França, cancionista foi para a Espanha

Por Redação em 10 de Fevereiro de 2017

"Maninho Melo participou de painéis falando sobre os desafios de fazer arte e ser artista nos dias atuais" (Foto: Divulgação)


O músico cancionista alvoradense Maninho Melo esteve na França, na cidade de Nanterre, no Festival Internacional de Arte apresentando seu repertório e participando de painéis sobre os desafios de ser artista nos dias atuais. Hoje em Mallorca, na Espanha, Melo conta que os franceses elogiaram seu trabalho. “Gostaram das músicas, tudo é diferente. A música que fazemos aqui no Brasil tem muita mistura. Eles são atentos aos conteúdos sociais também, o quanto que tu diz ou expressa na arte, o quanto reflete a realidade, se questiona o mundo ou não. Os espetáculos apresentados pelos franceses e pelos italianos são de cunho artístico e político também”, relata. Melo conta que chegou a emocionar uma portuguesa. “Teve uma senhora de 80 anos, portuguesa que encheu os olhos de lágrimas. Elogiou bastante o meu trabalho. Gostou muito da música “Papaiaia”, que fala do universo infantil, com cerrada ironia adulta”, afirma.

Maninho levou também fotografias das constantes enchentes que anualmente trazem destruição e fazem com que muitos alvoradenses tenham que abandonar suas residências pelo avanço das águas. Ele conta que os europeus ficaram surpresos. “Ele ficaram perplexos com as imagens das inundações, enchentes, ruas. A ideia era provocar o olhar sobre o ambiente onde a arte nasce. Afinal, não é porque não falo nas letras das músicas sobre nossas mazelas que elas não existem”, diz o artista.

Melo conta ainda que apresentou trabalhos de outros grupos na França. “Deixei materiais na França, com a produção do festival e com alguns artistas. Peguei contatos da Itália que estavam presentes no festival também. Eles se interessaram. Conversamos sobre a possibilidade de apresentar nos próximos festivais. Mas como eles são focados, preferiram viver o festival que estava acontecendo”, relata.

O artista tem buscado se incorporar a cultura dos países que visita. Para isso, conta que até o idioma do celular ele alterou. Hoje na Espanha, comenta sua rotina. “Estou mergulhado aqui em Mallorca agora. Todos os dias, saio para fazer algo diferente, almoçar na casa de alguém ou comer em algum lugar diferente, com pessoas diferentes. Vou ouvir gente tocar, saio para estudar música, na rua mesmo. Pego um sol. Converso com as pessoas”, conta. A viagem pela Europa termina no domingo, 12/02, quando o artista retorna ao Brasil.

COMENTÁRIOS ( )