Tera-Feira, 22 de Setembro de 2020 |

Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos completa 15 anos realizando ações na pandemia

Entidade atende 85 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social através do CRAS Piratini

Por Redação em 14 de Agosto de 2020

"A partir de 2005, começaram os trabalhos no Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos como instituição prestadora de serviço socioassistencial" (Foto: Éverton Carvalho)


O Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos é uma obra social que faz a continuidade da Pia Instituição Pedro Chaves Barcellos de Porto Alegre. Essa escola dirigida pelas Irmãs Franciscanas da Penitência e Caridade Cristã, de 1924 a 2004, atendia crianças e adolescentes provindas de situação de pobreza e orfandade. Desde 2002, um grupo de Irmãs Franciscanas veio morar em Alvorada.

Elas vieram para o Bairro Piratini com o objetivo de conhecer a realidade e sonhar o projeto de assistência social mais próximo às famílias em situação de vulnerabilidade social. A partir de 2005, começaram os trabalhos no Centro Franciscano Pedro Chaves Barcellos como instituição prestadora de serviço socioassistencial, junto às comunidades São Pedro, Piratini, Tijuca e outras localidades próximas à instituição.

Desde então já são 15 anos da inauguração do espaço – celebrado em 15 de julho – onde as irmãs, junto de educadores e oficineiros, atendem crianças de seis a 17 anos. “São 85 crianças e adolescentes sendo atendidos aqui. Isso são 52 famílias. Isso oficialmente, mas devido a pandemia a gente recuperou o contato com algumas crianças que estavam sofrendo com o acesso”, conta irmã Fátima, diretora da instituição.

O serviço funciona nos dois turnos, mas sempre recebe as crianças no inverso das aulas. Lá existem atividades como oficina de dança, desenho, música, esporte, artesanato, culinária. Esse último acontece tanto para as crianças tanto com algumas mães. Devido a pandemia, essas ações presenciais foram suspensas, mas o Centro segue desenvolvendo ações nas redes sociais.

Além das lives – já foram realizadas 41 até o fechamento da edição – ainda existem atividades que os educadores e a equipe do Centro praticam de forma presencial. “A gente já tentou vários tipos de coisas. A entrega de lanches nas casas acontece até hoje, até para não perdermos os contatos e as crianças não saírem de casa. Também entregamos materiais como desenhos e outras atividades”, salienta a diretora.

A responsável conta que o acesso ao serviço se dá pelo CRAS Piratini e é específico para crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade social. “Esse é um serviço totalmente gratuito. Nós somos mantidas pela Associação das Irmãs Franciscanas e temos uma parceria com a Prefeitura. Nesse contrato a gente recebe uma contribuição por crianças para auxiliar na alimentação”, finaliza.

Repasse da Prefeitura

Contudo, em levantamento foi descoberto que já faz um ano que a entidade não recebe o repasse da administração municipal. A reportagem entrou em contato com o secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (SMTAC), professor Daniel. Ele informou que as notas entre julho e novembro de 2019 foram entregues somente em junho deste ano.

Segundo o titular da pasta, devido a esse atraso na entrega das notas não foi possível efetuar o repasse. Contudo, em junho os documentos foram entregues e agora os trâmites estão em andamento. “As notas não foram emitidas e eu não sei o motivo. Somente em junho que esse material nos foi repassado. Eles vão receber o retroativo desses 12 meses até o final de setembro”, finaliza o secretário.

COMENTÁRIOS ( )