Sexta-Feira, 07 de Outubro de 2022 |

Pais e alunos de escola estadual denunciam professor por suposto assédio sexual

São, pelo menos, quatro ocorrências e diversos relatos nas redes sociais sobre o caso

Por Redação em 29 de Julho de 2022

"A denúncia chegou pelo Conselho Tutelar ao MP - além das ocorrências na DEAM" (Foto: Guilherme Wunder)


Pais e estudantes de uma escola estadual de Alvorada fizeram denúncias ao Conselho Tutelar e registraram ocorrências na DEAM sobre um professor por suspeita de assédio sexual. O caso ganhou força nas redes sociais na segunda-feira, 25/07, após publicações em rede social sobre a denúncia. Dezenas de alunos, ex-alunos, pais e moradores da região divulgaram e falaram sobre as suspeitas de abuso.

A denúncia foi feita ao Conselho Tutelar, que deu os encaminhamentos junto ao Ministério Público para que a investigação sobre o suposto caso tivesse início e fosse até a Polícia Civil. “A gente recebeu a denúncia no dia 14 de julho e, no mesmo dia, comunicamos o MP e a 28º CRE. Fomos nós que orientamos o afastamento do professor”, relata a conselheira tutelar Fernanda Maciel.

Segundo a conselheira, agora o Conselho Tutelar vai seguir acompanhando as adolescentes que passaram pelo suposto abuso. Esse acompanhamento psicológico também será feito com os pais e o restante da rede de convívio. Para Fernanda, é preciso fazer esse trabalho e ter todos os cuidados necessários pensando na saúde desses estudantes envolvidos.

Ao todo foram cinco ocorrências. Quatro delas de suposto abuso com meninas e uma agressão a um aluno. As que envolvem as alunas está sendo investigada pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM). Em entrevista, a delegada Samieh Saleh informou que a investigação segue em andamento e que o Centro de Referência em Atendimento Infanto-juvenil (CRAI) já foi acionado.

Segundo Samieh, no CRAI as duas vítimas foram atendidas por um psiquiatra para contar o ocorrido – o laudo deve ser encaminhado para a DEAM. Além disso, a diretora da escola foi ouvida – além de outras pessoas. A ideia é de que, com isso, seja possível averiguar se existem padrões. Contudo, a delegada explica que a palavra da vítima tem um peso especial neste processo.

Através dos relatos que chegaram até a DEAM, ele pode ser indiciado por importunação sexual ou estupro de vulnerável. Isso baseado nos casos que se tem conhecimento até aqui. “Os relatos são de que o professor assediava elas, forçava situações de abraços e beijos – isso mesmo quando elas não queriam. Na postagem existem outros relatos de situações parecidas”, pondera Samieh.

A mãe de uma das vítimas – que preferiu não se identificar – conta que a sua filha vinha sofrendo assédio desde o início do ano e que nem na escola queria ir mais, mas que não tinha contado em casa. “Há 15 dias ela me relatou que o professor tinha beijado ela no pescoço e a chamado de gostosa. Isso já vinha acontecendo desde o início do ano e eu disse que não poderia ficar assim”, desabafa a alvoradense.

Quando o caso veio à tona, outras meninas se pronunciaram nas redes sociais e a alvoradense quer que tudo se esclareça e que as devidas providências sejam tomadas. “Eu fiquei assustada, mas feliz por ver essas meninas tendo coragem de denunciar. Tem muitas que não estão mais na escola e diziam que achavam ser coisa da cabeça. Isso sem falar das coisas nojentas que a gente acaba escutando”, finaliza a mãe.

Pronunciamento do Estado

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação (SEDUC) informou que o professor foi afastado preventivamente de suas funções enquanto a denúncia é apurada. A 28º Coordenadoria Regional de Educação (CRE) está em contato permanente com a equipe diretiva da escola para oferecer todo o suporte à comunidade. Foi registrado boletim de ocorrência junto à Polícia Civil e o Conselho Tutelar também acompanha o caso.

Canal de denúncias

Tanto o Conselho Tutelar quanto a DEAM enfatizaram a importância de se buscar os órgãos competentes para prestar ocorrência ou depoimento sobre o caso. Isso deve auxiliar nas investigações. O Conselho Tutelar fica na Rua Contabilista Vitor Brum, Nº 87. Já a DEAM está localizada na Rua Alberto Pasqualini, Nº 404. Existem outros canais de telefone disponíveis para denúncia.

COMENTÁRIOS ( )