Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2021 |

Pelo segundo ano consecutivo, cartinhas da Escola Pedro Antônio são adotadas pela comunidade

126 crianças do Bairro Umbu ganharam os presentes que pediram para o Papai Noel

Por Redação em 18 de Dezembro de 2020

"A emoção tomou conta de alunos, professores e comunidade escolar que foi contemplada com o projeto" (Foto: Guilherme Wunder)


A boa vontade de ajudar o próximo mobilizou pelo segundo ano consecutivo toda a comunidade da EMEI Pedro Antônio, no Bairro Umbu – uma das regiões mais humildes do município. Esse sentimento de solidariedade foi colocado à prova no mês de novembro, quando os professores e alunos resolveram escrever suas cartas de natal. A ideia era conseguir com que as crianças tivessem essas cartas adotadas.

Devido a pandemia do coronavírus, neste ano não houve a festa de natal para a entrega dos presentes. Ao invés disso, a escola organizou as turmas para irem buscar as lembranças. Na segunda-feira, 14/12, foi o dia da pré-escola I e II buscarem, enquanto na terça-feira, 15/12, foi a vez do maternal I, II e do berçário. Todos os 126 alunos tiveram suas cartas adotadas.

Em entrevista, a diretora da EMEI Pedro Antônio, Fabiana Severgnini, falou da importância em realizar esse evento pela segunda vez. “A gente percebe que tem muita gente querendo ajudar, mas falta o caminho e precisamos puxar. Sem falar que muitas das crianças que estudam aqui terão apenas esse presente de natal, então ficamos muito felizes em poder presenteá-los”, salienta a gestora.

Enquanto a reportagem esteve no local, a turma da professora Kellen dos Santos esteve na EMEI. Ela também falou de o sentimento em poder realizar o evento. “É uma alegria rever as crianças. É um sentimento de gratidão. Nós mantemos o evento para manter viva a esperança do natal e manter o vínculo com as nossas crianças. Queremos que eles saibam que estamos aqui para ajudar eles. É de se emocionar”, conta a servidora.

O parecer da comunidade

Durante a tarde de terça-feira, 14/12, o maternal I e o maternal II foram na escola receber seus presentes. Na oportunidade havia um Papai-Noel esperando os alunos para realizar a entrega. Foram algumas crianças, acompanhadas de seus pais, para participar do encontro. Para muitos, essa foi a primeira vez no ano que estiveram na instituição – devido a pandemia.

Ana Carolina Godoy, mãe de Alicia, que tem dois anos e meio, falou da importância dessa atividade para a comunidade escolar. “Não é o nosso caso, mas muitas crianças aqui não têm condições e só vão ganhar esse presente. Tem criança que pediu material escolar e comida. Infelizmente temos muitas crianças carentes aqui no bairro e é importante ajudar”, conta a alvoradense.

Quem também divide da mesma opinião é Cristiane Pinheiro, mãe de Victor e Nicolas, de quatro e dois anos – respectivamente –, “É muito bom, porque tem muitas crianças que não vão receber outros presentes. A gente vê as crianças muitos felizes. Eu tenho outros sobrinhos que também estudam aqui e não tem condições de mais. Que bom que aqui fazem, porque não é toda escola que faz”, finaliza a dona de casa.

COMENTÁRIOS ( )