Terça-Feira, 20 de Fevereiro de 2018 |

Projeto Brincando nas Férias leva entretenimento para as crianças do Bairro Sítio dos Açudes

Iniciativa piloto da Secretaria de Educação em 2018 acontece na Escola Leonel Brizola

Por Redação em 09 de Fevereiro de 2018

"O projeto conta com parceria de outras secretarias do município e de ONGs como a Embrião" (Foto: Matheus Pfluck)


O Bairro Sitio dos Açudes é um dos mais carentes e desassistidos do município. Falta pavimentação, tratamento de esgoto, posto de saúde, entre outros serviços que não chegam à região. Todos esses problemas são antigos, porém certas ações estão sendo realizadas para poder amenizar esses problemas e dar uma vida mais alegre para os moradores do bairro, que fica próximo ao Umbu e ao Distrito Industrial da cidade.

Isso porque a Secretaria de Educação (SMED) implantou neste período de férias letivas o projeto Brincando nas Férias na Escola Municipal Leonel Brizola. A iniciativa visa ocupar a instituição durante este período e oferecer às crianças do bairro o almoço, lanche e atividades recreativas, como capoeira, xadrez, música, dança, futebol, entre outras ações. Tudo isso em parceria com outros órgãos da Prefeitura e ONGs da cidade.

O projeto teve início na terça-feira, 30/01, e deve seguir até a próxima sexta-feira, 16/02, quando ocorrerá o baile de carnaval. Durante o evento, crianças, servidores e autoridades confraternizam com brincadeiras e atividades ao longo da tarde. No lançamento do projeto foram apresentados os kits de materiais escolares para 2018 e os uniformes para o ano letivo.

Acompanhamento in loco

A reportagem do Jornal A Semana foi até a Escola Leonel Brizola para conversar com as crianças e os pais que estavam presentes na instituição e entender um pouco mais sobre o projeto. Em contato com a vice-diretora, Simone Pacheco, foi salientada que cerca de 80 pessoas por dia estão indo na escola e participando das ações realizadas.

Para a vice-diretora, projetos como esse são de suma importância para que os alunos tenham um momento de lazer e de descontração para as crianças. “Todos eles estão vindo e participando. Isso neste que é o primeiro ano do projeto na escola. Infelizmente eles não têm onde brincar durante as férias e alguns chega a não ter o que comer mesmo. Tanto que notamos na volta as aulas é nítido que eles estão mais magros”, conta Simone.

A coordenadora da Secretaria de Educação, Carla Pacheco, contou que o projeto tem como grande objetivo trazer o lazer para essas crianças, já que o bairro não oferece isso. “Mas não só o lazer, como também a merenda. Infelizmente essa é a realidade e nós não podemos deixar de falar isso. Eles são um povo carente e estavam acostumados com os lanches na escola”, relata a servidora da SMED.

Carla afirmou ainda que o projeto vem sendo bem aceito, tanto na comunidade como também pela Prefeitura, e que esse é um projeto piloto bem sucedido e que deve sim voltar nas férias do ano que vem. “O Brincando nas Férias está com um saldo e uma avaliação muito positivas. Nós queremos, no recesso de 2019, poder levar também esse projeto para outras escolas da cidade”, anuncia a coordenadora da Educação.

Comunidade

Segundo os moradores do bairro, essa ação vem sendo muito positiva para as crianças que residem na região. Para o pai Augusto Machado, que levou seu filho para brincar, essa ação é muito importante para quem não tem como aproveitar as férias em outra cidade e encontra na escola a opção para o entretenimento. “Eu acho maravilhoso. Hoje nossa realidade é esquina [crianças ficam nas ruas] e, para a gurizada, isso aqui é maravilhoso. Eles conseguem brincar em um ambiente seguro e orientado”, relata Machado.

Ainda conforme ele, que está levando seus filhos durante vários dias da programação. Para Machado, ações como essa influenciam na vida das crianças e podem fazer com que o futuro delas seja mudado. “A escola é a fuga deles. A brincadeira deles é o esgoto e a esquina. A estrutura da instituição é muito boa e ações como essa auxiliam na criação deles. Tomara que façam mais atividades aqui no ano inteiro”, salienta o alvoradense.

Além dos adultos, quem mais se alegra com tudo isso são as crianças. Pelo menos é isso que falou a estudante de 12 anos Joice Nunes. Para ela, todas as brincadeiras estão sendo boas e divertidas. “Além disso, isso ajuda todas as crianças que não tem comida em casa. Eu estou gostando e vindo todos os dias para cá brincar”, finaliza Joice.

COMENTÁRIOS ( )