Sbado, 27 de Fevereiro de 2021 |

Bairro Agritter aguarda reforma do campo, mas cobra mais atenção com o local

Segundo os moradores, é necessário mutirões entre a comunidade para corte de grama e cuidado com o entorno

Por Redação em 22 de Janeiro de 2021

"Atualmente o campo está com grama alta, sem cercamento e com focos de lixo nas esquinas" (Foto: Guilherme Wunder)


Em março de 2020, o Jornal A Semana noticiou a vinda de uma emenda parlamentar do deputado federal Giovani Cherini (PL) para a modernização do campo do Agritter. Serão R$ 280 mil para realizar a drenagem, cercamento e a construção dos vestiários no entorno do campo. Contudo, quase dez meses depois, nenhuma obra começou no local e não se tinham mais novidades do projeto.

Pensando nisso, a reportagem foi até o entorno do campo. Lá foi possível notar que a grama está alta, falta o cercamento no campo e existem focos de lixo nas esquinas. Contudo, para compreender a realidade do local, o Jornal A Semana conversou com alguns moradores antigos da região. A ideia é compreender também o impacto que essa obra teria no local.

O parecer da comunidade

Para Mateus de Oliveira, sapateiro que mora em frente ao local, é importante fazer a reforma, mas ele tem receio sobre a manutenção. “Não podemos deixar esse espaço abandonado. Não adianta fazer a obra e não ter quem cuidar. Talvez a solução seja colocar alguém para morar e cuidar do campo. Infelizmente não tem quem cuide”, enfatiza o alvoradense.

Já Leonardo Pereira, que trabalha numa marcenaria tradicional da região, também será importante a obra. “É um lazer e ficará bonito para as crianças. O problema é que as pessoas não cuidam e a gente tem que brigar com os vizinhos que colocam lixo no local. Também temos que pagar para cortar grama e limpar, pois o campo está bem abandonado pela Prefeitura. Não podemos contar com eles”, salienta o empresário.

Respostas do Executivo

Em nota, a Coordenadoria de Comunicação Social (CCS) informou que o projeto se encontra no setor de engenharia da Secretaria do Meio Ambiente (SMAM), recebendo ajustes solicitados pela Caixa Econômica Federal. Tão logo realizados as alterações solicitadas, o mesmo será para ela enviado para aprovação. Retornando a Prefeitura, ele será objeto do competente procedimento licitatório para contratação da obra.

COMENTÁRIOS ( )