Sábado, 18 de Novembro de 2017 |

Sonhos que se tornam realidade no automobilismo

Diego Beretta e Maurício Pacheco, disputam Campeonato Estadual de Marcas e Pilotos

Por Redação em 13 de Outubro de 2017

"Próxima e última etapa do ano acontece no dia 26 de novembro no Autódromo de Tarumã, em Viamão" (Foto: Divulgação)


Quando criança, o sonho em ter uma carreira profissional sendo empresário, policial, médico ou ter outra profissão é normal. Para Diego Beretta, hoje advogado, ser piloto de carros de corrida esteve sempre presente em sua mente. No entanto, assim como muitas outras crianças, este sonho teve que ser adiado por falta de recursos.

Já para Maurício Pacheco, hoje trabalhando como chapeador de carros, a mesma vontade de pilotar um veículo, começou aos 18 de idade, quando ele e seu pai começaram a trabalhar com um piloto gaúcho. E, assim como o personagem acima, Pacheco também teve que adiar seu sonho.

No entanto, esta vontade de pilotar um carro rumo ao pódio em uma corrida, veio à tona no inicio deste ano, quando os dois se juntaram e criaram a equipe 31 Racing para disputar o Campeonato Estadual do Marcas e Pilotos Gaúcho, representando Alvorada.

A partir de 2015, este sonho do piloto Diego Beretta voltou a ser realidade. De lá para cá, Beretta fez curso de piloto. Já em 2016, começou a montar seu próprio carro, que ficou pronto somente neste ano, pois os valores envolvidos na construção do veículo são muito altos. “No final de semana de cada Etapa ocorrem duas Baterias, e cada piloto anda em uma das baterias. Isso ajuda a reduzir os custos”, explica. Após isso, convidou Maurício Pacheco, para fazer parte da equipe.

Conforme Beretta, tudo começou com apenas seis ou sete anos de idade, quando foi com seu pai e seu avô assistir uma corrida em Tarumã pela antiga StockCar. “Na época usavam Opalas e desde ali, por volta de 1989, comecei a prestar mais atenção nas corridas que passavam na TV. Na época lembro de não perder uma corrida da Formula 1 na Globo e na Band passava outras corridas Nacionais e na TVE passava os campeonatos Estaduais, não perdia uma transmissão”, conta.

Outro fato que ajuda na diminuição dos custos é que a equipe é bem caseira, pois somente os dois pilotos mexem no carro com dicas de alguns amigos mecânicos e preparadores de carros. “Assim conseguimos correr com um custo baixíssimo, mas é muito cansativo”, avalia.

Como é o primeiro ano da equipe, estão em fase de aprendizado, mas já conseguiram ficar por duas vezes em 6º lugar, nas corridas em Santa Cruz do Sul e no Velopark, em Nova Santa Rita, em 5º lugar em Rivera, que rendeu um troféu, já que os cinco primeiros sobem ao pódio.

Sua ultima corrida aconteceu no último domingo, 8/10, em Guaporé, onde a equipe ficou em 8º lugar na categoria Novatos. “No Marcas correm todos juntos mas são divididos em Categoria A (pilotos experientes e campeão) e Categoria N (Novatos). No total o Marcas tem aproximadamente 35 carros, mas a quantidade de veículo por etapa varia pois nem todos correm todas”, conta.

Atualmente eles contam com apoios esporádicos de algumas empresas, mas de Alvorada quem os ajuda em todas as corridas com algum recurso é a Território das Pizzas. “Mesmo assim o apoio é pouco e sempre corremos colocando dinheiro próprio”, lembra.

A próxima e última etapa do ano acontece no dia 26 de novembro no Autódromo de Tarumã, em Viamão. Ao todo, são oito etapas durante o ano, no qual os pilotos correm em Guaporé, Velopark, Santa Cruz do Sul, Rivera e Tarumã, onde que como são cinco autódromos três etapas são realizadas em Tarumã e duas em Guaporé.

COMENTÁRIOS ( )