Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018 |

Cercamento eletrônico da região metropolitana deve ser instalado ainda no primeiro semestre

Programa do Governo do Estado deve beneficiar várias cidades da região metropolitana incluindo Alvorada

Por Redação em 05 de Janeiro de 2018

"Projeto foi anunciado em julho de 2017 pela Secretaria de Segurança Pública, mas ainda não saiu do papel." (Foto: Guilherme Wunder)


Em julho deste ano, a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana (SMSMU), havia anunciado um repasse de R$ 900 mil reais, oriundos de emendas parlamentares de bancada, para a implantação do sistema de cercamento eletrônico na cidade. O projeto previa a instalação de 18 câmeras, sendo nove delas OCRs e outras nove de videomonitoramento.

Isso tudo com a expectativa para ser instalado até o final de 2017. Pelo menos esse era o pensamento do secretário da SMSMU, Sérgio Coutinho, em entrevista ao Jornal A Semana naquela época. “Agora passamos para eles [Governo do Estado] e, caso tudo ocorra como o previsto, até o fim do ano devemos ter essas câmeras instaladas”, relata o titular da pasta.

Contudo, chegamos em 2018 e, até agora, nada foi feito. Nem o processo licitatório está tramitando ainda. Pelo menos foi isso que explicou o titular da pasta no Município. “Todo esse processo licitatório está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado e não pelo Município. A última reunião que tivemos com a Secretaria de Segurança Pública nos foi informada que está feito o registro do recurso e será resolvido em 2018”, salienta Coutinho.

Projeto

O cercamento eletrônico será feito com câmeras que tem a tecnologia OCR, que é um software que realiza a leitura da placa dos automóveis. Com isso é possível saber se o veículo é roubado, está com documento atrasado ou alguma outra pendência. “As OCR serão instaladas em todas as entradas e saídas da cidade. Só assim é possível monitorar a frota que entra e sai de Alvorada”, explica o titular da pasta.

O programa será administrado em uma ação conjunta entre Brigada Militar, Polícia Civil e a Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana (SMSMU). A sala de comando ficará junto ao 24º Batalhão da Policia Militar (BPM). Os representantes deste grupo de trabalho já definiram os locais onde as 18 câmeras serão instaladas.

Segundo Coutinho, os critérios definidos foram os pontos mais críticos e necessários no quesito segurança pública. Enquanto as OCRs serão instaladas em todas as entradas e saídas da cidade, as de videomonitoramento serão instaladas em locais de fluxo intenso de pessoas e em bairros aonde existem altos números de ocorrências. “Nós temos a esperança de que, até o final do primeiro semestre, estejam iniciando as instalações”, salienta o secretário.

O titular da pasta explica ainda que o recurso que será investido no cercamento eletrônico é oriundo de emendas parlamentares e gerenciadas pelo Governo do Estado. Por causa disso, o município não está envolvido no processo licitatório e ficou sob responsabilidade da SMSMU o levantamento dos locais escolhidos e documentos necessários para que seja feita a instalação. Todas essas etapas já foram concluídas.

Resposta do Estado

Agora o município aguarda que o Estado consiga iniciar o processo licitatório entre março e abril, para que as instalações possam iniciar ainda no primeiro semestre. “Essa é uma previsão do Estado, pois as obras são deles e não de responsabilidade nossa. As licitações devem ir para rua até março, quem sabe antes. Entretanto, essas instalações devem acontecer em outras cidades e a empresa vencedora da licitação deve organizar sua agenda da melhor forma”, enfatiza Coutinho.

Para o secretário, a instalação do cercamento eletrônico vai melhorar a dinâmica e o sucesso nas ações realizadas pela Brigada Militar e Polícia Civil. Além disso, os servidores poderão controlar a frota que entra e sai do município. Isso porque hoje não é possível identificar veículos roubados que entram no município, mas será viável fazer esse controle com o funcionamento das câmeras OCRs.

Em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Governo do Estado, foi informado que faltam apenas detalhes para que o processo licitatório seja publicado. “O projeto de videomonitoramento será custeado pelas emendas da Bancada Federal. O projeto está pronto e os instrumentos já foram empenhados, mas ainda não foram pactuados, ou seja, não houve assinatura”, ressalta, através de nota, a SSP.

COMENTÁRIOS ( )