Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 |

Crítica de Uma Mulher Fantástica

Com a pandemia, comecei a trazer muitos filmes que chegam...

Por Redação em 16 de Outubro de 2020

"Crítica de Uma Mulher Fantástica" (Foto: Divulgação)


Com a pandemia, comecei a trazer muitos filmes que chegam ao catálogo da Netflix como dicas para vocês. Contudo, sei que existem outros serviços de streaming e, pensando nisso, trago hoje a produção chilena “Uma Mulher Fantástica”, que está disponível na Amazon Prime Vídeo. O longa-metragem chamou a atenção em festivais de cinema pelo mundo e foi considerado o Melhor Filme Estrangeiro no Oscar.

Na trama acompanhamos Marina (interpretada por Daniela Veja), uma garçonete transexual que busca o sonho de ser uma cantora de sucesso. Para isso ela estuda canto lírico e se apresenta em clubes do Chile. Entretanto, ainda no início do filme, quando seu namorado falece, Marina tem que conviver com a desconfiança e o preconceito de todos a sua volta.

O que, de cara, é um choque de realidade para quem assiste ao filme, são os preconceitos e os abusos que Marina sofre no seu dia a dia. Isso acontece e é mostrado desde o início do longa-metragem, pois acontece em todas as situações, desde momentos simples como uma ida ao médico até quando ela deseja ir ao velório de seu namorado. Tudo devido as questões de homofobia.

Na direção está Sebástian Lelio, conhecido pelo seu trabalho no filme “Gloria”. E, mais uma vez, o diretor consegue entregar um projeto digno de nota. A produção é segura e Lelio consegue construir um filme forte e coerente, baseado no grande trabalho de atuação de Veja, que entrega toda a dramaticidade necessária para o papel. Com certeza esse é um dos grandes cineastas de sua geração.

Outro ponto positivo da direção de Lelio é a segurança dele. A ideia de não ousar tanto em planos diferentes e ir por uma opção segura e correta, mostra que menos é mais e entrega assim uma obra simples e intimista, mas com toda uma carga dramática, política e social que é necessária. Ainda mais se pensarmos que o Chile também é um país que debate questões homofóbicas.

“Uma Mulher Fantástica” é um longa-metragem necessário em um momento tão conturbado de discussão e fanatismo. Produções como essa têm sim que chegar ao grande público, seja pela sua qualidade técnica como também pelo tema abordado com tanta veemência política e social. Que mais filmes como esse cheguem aos cinemas nacionais e aos serviços de streaming.

Estreias da semana

O Halloween do Hubie: Hubie Dubois é uma figura de grande zombaria para as crianças e adultos, apesar de sua devoção a Salém, sua cidade natal. Quando um assassinato próximo ao Dia das Bruxas ocorre, Hubie assume a responsabilidade de investigar o caso, sendo a esperança para salvação da data. O Halloween do Hubie conta no elenco com Adam Sandler, Maya Rudolph e Noah Schnnap.

A Babá – A Rainha da Morte: O filme acompanha Cole, interpretado por Judah Lewis, dois anos após derrotar o culto satânico liderado por sua babá Bee, interpretada por Samara Weaving. Tentando superar o passado e sobreviver no colégio, tudo parece estar bem. Porém, quando velhos inimigos retornam inesperadamente, ele terá que lutar novamente.

COMENTÁRIOS ( )