Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 |

Junior Caminhoneiro: “Peço que o eleitor tome o futuro de Alvorada em suas mãos”

Esse será o terceiro pleito que a liderança do PSOL se coloca à disposição para concorrer

Por Redação em 09 de Outubro de 2020

"Junior Caminhoneiro recebeu a reportagem do Jornal A Semana em sua casa" (Foto: Guilherme Wunder)


O Jornal A Semana dá sequência a série de entrevistas com os candidatos a prefeito no pleito deste ano. Na segunda reportagem, foi conversado com o candidato Junior Caminhoneiro (PSOL), que ao lado de Rafael Freitas (PCB), busca vencer a eleição deste ano. Eles formam a coligação ‘Um Novo Horizonte é Possível’ para buscar o voto do eleitorado no dia 15 de novembro.

Campanha

Um dos primeiros questionamentos feitos ao político foi da aceitação da campanha na rua. “Eu estou vendo uma aceitação muito boa mesmo, mas nós não temos pernas para alcançar a cidade inteira. Nós somos a candidatura com menos recursos e os nossos adversários estão sendo desleais em relação a pandemia, pois estão fazendo aglomerações e não respeitando o distanciamento”, salienta Junior.

Projetos

Já está disponível no site do TSE os planos de governo dos seis candidatos a prefeito. Lá é possível saber quais as principais propostas que cada candidato tem para a cidade a partir de 2021. O candidato do PSOL foi questionado sobre os pontos mais importantes de seu planejamento e citou três deles: enxugamento da máquina pública, proximidade do prefeito com os bairros e a criação de comitês populares.

Uma das primeiras ações que devem ser tomadas e a diminuição de cargos comissionados para que se tenha recurso para outros investimentos na cidade. “Teremos um enxugamento administrativo e as pessoas vão ver isso. Não teremos mais um monte de CC sobrando, pois existem muitos que estão lá para atender interesses pessoais do que para ajudar e servir a população”, explica o candidato.

Para enxugar a máquina pública, também devem ser tomadas outras medidas. Essas ações também influenciarão numa proximidade do prefeito com a população. “Também devemos reduzir o número de secretarias para cinco e o prefeito vai começar a despachar na vila. Não teremos mais prefeitos que esperam no gabinete, mas o chefe do Executivo vai para dentro do bairro todo mês”, justifica o político.

A ideia é que, com essas ações, seja possível aproximar a comunidade das decisões da Prefeitura e tirar o prefeito de dentro do prédio do Executivo e leva-lo para o bairro. Junior explica que, com isso, o chefe do Executivo será mais valorizado, mas também cobrado de forma mais contundente, afinal a inciativa proposta por ele é que, pelo menos uma vez por mês o prefeito visite toda a cidade.

O conceito de aproximar os alvoradenses das tomadas de decisões também ganhará outro mecanismo, que deve ser criado no início do governo – caso seja eleito pela população. “A comunidade vai tomar decisões através de comitês populares locais, onde a população vai decidir como serão as ações do governo. Isso funcionará de forma diferente do Orçamento Participativo”, pondera o candidato a prefeito.

Pós-pandemia

Muito se fala do novo normal e o candidato foi questionado sobre o seu futuro pós-pandemia. “Nós encontraremos a cidade arrasada e abalada em todas as idades e em todos os aspectos. Com certeza precisaremos de um trabalho psicológico muito forte com a nossa população. Já no aspecto econômico, também encontraremos muitos problemas”, desabafa Junior.

Coligação

A coligação de Junior Caminhoneiro é intitulada ‘Um Novo Horizonte é Possível’ e conta com dois partidos – que hoje somam três candidatos vereadores. Isso significa que, mesmo que PCB e PSOL elejam todos os seus candidatos, o prefeito não terá a maioria dentro da Câmara de Vereadores. Por isso, o político foi questionado sobre como pretende ter governabilidade.

Contudo, o político afirma que os projetos serão pensados na cidade e o Legislativo vai aprovar por ser a melhor opção. “A relação será muito boa, pois se a gente vencer a eleição, teremos a maioria da população do nosso lado e é preciso trabalhar com o povo. Quando se negocia cargos para ter governabilidade, não se honra o resultado das urnas, afinal teremos o apoio do povo”, afirma Junior.

Pontos sensíveis

Existe pelo menos um ponto sensível na candidatura de Junior Caminhoneiro: a falta de união no espectro da esquerda, afinal o PSOL/PCB concorrerão contra o PT/PDT/PCdoB. Sabe-se que, no último ano, foi lançado um movimento pelos cinco partidos para pensar a cidade, mas com o passar do tempo ele foi paralisado. Por mais que o movimento não tivesse um caráter eleitoral, se acreditava que dali poderia sair uma coligação.

Junior afirma que esse ponto não prejudicará seu projeto. “Eu compreendo que a esquerda só tem uma candidatura e está unida. As outras candidaturas são de centro para direita. Eu escutei essas queixas, mas eles querem que a esquerda se uma abaixo de um cacique. A esquerda também significa renovação, mas não vemos isso na outra candidatura que se diz de esquerda”, justifica o candidato.

Palavra final

O candidato foi questionado sobre uma mensagem ao povo alvoradense e isso foi o que disse Junior. “Peço que o eleitor tome o futuro de Alvorada em suas mãos e não escolher salvadores da pátria. Eu estou convocando a população para se tornar protagonista na cidade e tomar o município que é seu por direito. Inclusive digo que, quem procura um salvador da pátria, que não vote em mim”, finaliza o político.

COMENTÁRIOS ( )