Sábado, 18 de Novembro de 2017 |

Prefeituras reúnem-se na busca de recursos para o Caminho do Meio

Obras foram anunciadas em 2014 e, até hoje, não saíram do papel

Por Redação em 18 de Agosto de 2017

"Projeto vai duplicar Estrada que separa os municípios de Viamão (esquerda) e Alvorada (direita), desembocando na Avenida Protásio Alves, na Capital" (Foto: Guilherme Wunder)


Em julho de 2014, ainda nos governos de Dilma Rousseff e Tarso Genro, foi anunciada a duplicação e construção de um corredor exclusivo para ônibus da Estrada Caminho do Meio. As obras faziam parte do “PAC 50 – Pacto da Mobilidade” e contemplavam a Avenida Protásio Alves, Caminho do Meio e Avenida Frederico Dihl, atingindo os municípios de Porto Alegre, Alvorada e Viamão.

Segundo o que foi divulgado na época, ao todo, seriam 18 quilômetros e o investimento giraria em torno de R$ 150 milhões. A expectativa era de que a licitação para a obra tivesse sido aberta em 2014, com previsão de início para 2015 e conclusão em 2017. Porém, passados três anos do anúncio e com o prazo para a entrega, teoricamente, chegando ao fim, é possível notar que nada aconteceu.

Na semana passada, foi veiculado pela imprensa gaúcha que o prefeito de Viamão, André Pacheco, PSDB, juntamente dos políticos de Alvorada e Porto Alegre, estão trabalhando para que a obra seja feita. Segundo Pacheco, a expectativa é de conseguir solicitar esses recursos e colocar na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) da União para que, em 2018, o projeto possa ser retomado.

Em entrevista com o secretário de Governo e Gabinete, Paulo Ramos, nos foi informado que, infelizmente, esse recurso destinado para a Estrada Caminho do Meio se perdeu antes mesmo da atual gestão assumir. Ainda segundo Ramos, os prefeitos já estão trabalhando para tentar conquistar o recurso necessário para a obra, que deve beneficiar as três cidades.

“Já existe essa movimentação, tendo em vista tirar essa obra do papel. As tratativas ainda são iniciais para retomar essas negociações, com vista em conseguir os recursos federais necessários. A perspectiva que temos é buscar recursos externos para fazer. Nós ainda não temos nenhuma sinalização de emenda parlamentar para podermos inserir na LDO da União”, ressalta o secretário.

Ainda segundo Paulo Ramos, o que está sendo tratado nestes primeiros encontros é a possibilidade de se pleitear os recursos com representantes gaúchos na Câmara de Deputados de Brasília. O projeto, conforme o titular da pasta, é o que foi realizado pela Metroplan, ainda em 2014 e, a tendência, é que esse projeto seja reaproveitado e adaptado para a realidade financeira da União. Tanto que, por enquanto, somente a Estrada Caminho do Meio está sendo debatida, sem a Avenida Frederico Dihl e o Beco do Bibi.

COMENTÁRIOS ( )