Sexta-Feira, 07 de Outubro de 2022 |

União sedia projeto de jiu-jitsu para crianças carentes e defesa pessoal para mulheres

Projeto é desenvolvido pelo lutador Renato Werlang

Por Redação em 22 de Julho de 2022

"O objetivo é formar atletas e cidadãos alvoradenses através das crianças" (Foto: Guilherme Wunder)


Desde o mês de junho, o Clube União passou a sediar o ‘Futuro Suave’, projeto social para atender a crianças e adolescentes carentes e mulheres. Por meio de treinamentos de jiu-jitsu, o clube acolherá jovens que vivem em situação de vulnerabilidade social. Criado em 2019, o projeto visa reunir crianças e adolescentes de 06 a 17 anos no turno inverso ao da escola regular, para as aulas da arte marcial.

O projeto ‘Futuro Suave’ tem diversos núcleos espalhados pelo estado. Com isso, é possível atender mais de 200 crianças através do esporte. “É uma forma de estimular o estudo, a disciplina e a ocupação desses jovens no contra turno escolar, visando um futuro mais inclusivo e repleto de oportunidades” detalha Renato Werlang, idealizador do projeto e atleta de jiu-jitsu há mais de dez anos.

No núcleo de Alvorada este projeto foi ampliado com algo inovador: estão sendo ministradas aulas de defesa pessoal feminina, para mulheres do município com o intuído de terem noção básica de defesa, assim aumentando sua autoconfiança e podendo saber agir em situação perigosa e mulheres que passaram por agressão doméstica, um grande problema social que vivemos hoje, e com altos índices de feminicídio.

Uma das alunas deste projeto é Luana Tavares, 34 anos, que fez sua primeira aula de defesa pessoal na tarde de terça-feira, 19/07. “Eu inscrevi os meus filhos e um deles já está participando. Neste projeto também foi dito que teria aula de defesa pessoal para as mulheres. Eu acho que todas as mulheres deveriam fazer, pois é importante saber se defender”, relata a alvoradense.

Para ela, o balanço que fica é positivo e a jovem acredita ser necessário que mais pessoas conheçam esse curso e façam as aulas. “Seria bem legal que o projeto fosse abraçado por outras instituições e ocorressem em outras comunidades também. Mais mulheres precisam saber que isso existe. Outras mulheres poderiam vir se soubesse. Seria valido traze-las para essas aulas”, finaliza Luana.

O alvoradense viabilizou a própria trajetória dentro do esporte através de Leis de Incentivo. “Depois de conquistar o mundial eu senti que faltava algo a mais. Achei que eu poderia, como atleta e professor, ajudar muito mais com um projeto social. Acredito que com essa iniciativa, atendendo 40 crianças e as famílias envolvidas no projeto, posso ajudar a tirar essas crianças da rua e transformar a vida destes jovens”, encerra Werlang.

Atualmente o projeto é desenvolvido na sede campestre do Clube União e, para o presidente Sandro Melo, é fundamental esse trabalho. “A gente quer investir na criança e no adolescente. O clube tem de participar disso e, por mais que a gente não possa contribuir financeiramente, a gente consegue oferecer a estrutura. Com isso se investe no futuro da cidade”, pondera o gestor desde 2018.

COMENTÁRIOS ( )