Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017 |

Ações de prevenção às cheias seguem no município

Mesmo com a perda momentânea de escavadeira, cronograma segue conforme planejado

Por Redação em 21 de Julho de 2017

"Após a retirada da areia o Estado já está trabalhando na destinação final do material" (Foto: Matheus Pfluck)


Na tarde desta terça-feira, 18/07, o diretor-geral da Defesa Civil de Alvorada, Vilmar Laureano, reuniu-se com representantes do Governo do Estado e das defesas civis de outros municípios. O objetivo do encontro foi apresentar demandas e o cronograma de ações que estão sendo realizados em Alvorada na prevenção e combate às cheias.

Segundo o próprio diretor Laureano, o cronograma planejado para este período segue sendo respeitado, mesmo com os imprevistos que ocorreram na última semana. Isso porque, na manhã da última sexta-feira, 14/07, uma escavadeira hidráulica cedida pelo Estado acabou atolando enquanto executava o desassoreamento do Arroio São João, no Bairro Nova Americana.

“A máquina já foi encaminhada para o conserto. Essa foi a terceira falha mecânica que ela apresentou desde que chegou ao município. Por causa disso o equipamento foi encaminhado para perícia, até para que seja possível confrontar a empresa responsável pela manutenção da máquina. Segundo os representantes do Estado que conversaram conosco, assim que a escavadeira estiver consertada, ela será encaminhada de volta ao município”, ressalta Laureano.

Ainda conforme o diretor-geral da Defesa Civil do município, caso o conserto demore mais do que quinze dias, o Estado deve ceder outra escavadeira para que a cidade possa continuar com os trabalhos de desassoreamento dos arroios. Sobre a polêmica referente à demora na retirada da máquina, o chefe de unidade Fabrício Casales explica que a Prefeitura tentou retira-la sem a necessidade de terceirizar o serviço, algo que acabou não acontecendo (a Darcy Pacheco foi responsável pela retirada). Porém Casales ressalta que não houve negligência e nem perda total da escavadeira.

“A escavadeira não tem roda, mas sim esteira e, por causa disso, ela acaba dependendo do braço para sair. O que aconteceu foi que ela não tinha força e nem tração e, quando precisava do braço hidráulico para subir também faltou força. Por isso a retiramos no sábado. Porém não tivemos a perda total da máquina. Ela foi planejada para entrar na água, então ela tem isolamento para que não molhe”, relata o chefe de unidade.

Entretanto, mesmo sem essa máquina, os trabalhos continuam sendo realizados. Isso porque, desde segunda-feira, 17/07, já estão sendo retirados os montes de areia que saíram do arroio. Conforme Casales, o cronograma não foi prejudicado, e essa etapa da retirada da areia por parte do Estado já estava na programação. Essa etapa deve seguir até a altura da Rua Itararé, para depois a draga retornar ao Arroio Feijó e seguir com as ações contra enchentes.

Além disso, uma nova draga deve chegar ao município em breve. Esse novo equipamento é maior do que os já existentes na cidade e deve trabalhar diretamente no Rio Gravataí. Porém, segundo o diretor-geral Laureano, ainda não existe uma previsão de quando a máquina deve chegar ao município. “Estivemos em uma reunião ontem com o Governo do Estado e só está faltando o caminhão prancha para trazer ela. Eu só não tenho como te dar previsão porque ainda não tem nada certo. Ela já está até desmontada e agora só depende do caminhão”, finaliza Laureano.

COMENTÁRIOS ( )