Quarta-Feira, 27 de Janeiro de 2021 |

Cachorra Nikita é atropelada por ônibus e gera comoção nas redes sociais

Animal foi resgatado, mas não resistiu aos ferimentos do acidente

Por Redação em 18 de Dezembro de 2020

"A cachorra Nikita foi apenas mais um caso de negligência no trânsito de Alvorada" (Foto: Divulgação)


Na última semana as redes sociais foram tomadas pelo caso da cadelinha Nikita, que ficava no Bairro Jardim Cocão – divisa de Viamão com Alvorada. O motivo é que um ônibus acabou atropelando o animal comunitário, que era cuidado pelos moradores da região. Após o incidente, populares recolheram a cachorra e levaram até os veterinários para tentar salva-lo.

Segundo Ana Luiza de Lima, que ficou como responsável por Nikita, um ônibus passou em torno das 15h30 e, ao virar uma esquina, não reduziu a velocidade e acabou passando por cima do cachorro. A jovem de 16 anos explica ainda que, em nenhum momento, o veículo reduziu a velocidade ou parou para prestar socorro e sim seguiu andando como se nada tivesse ocorrido.

Ana conta que a relação da cachorra com os moradores era muito boa. “A Nini sempre foi muito brincalhona e carinhosa. Sempre nos deixava cuidar dela, dar banho, comida, remédio. Meu irmão mais novo a adorava e estava sempre na volta. Todos os dias que quando eu voltava da escola ela vinha me encontrar na esquina de casa e sempre quando íamos a pé para algum lugar, ela ia atrás”, salienta a jovem.

Conforme relato, logo que ela foi atropelada os vizinhos ouviram os latidos e foram socorre-la. Na hora se notou que a cadelinha estava perdendo muito sangue e foi necessário levar o animal até um veterinário. Chegando ao local e feito o diagnóstico, amigos começaram a arrecadar recursos para poder pagar pelo tratamento. Para isso foram feitas postagens em redes sociais pedindo ajuda.

Foram muitas pessoas que se comoveram com o caso e fizeram om que R$ 1.300,00 fossem arrecadados. Isso inclusive de doações fora do país e com rifas e outras atividades. Contudo, a cadelinha acabou vindo a óbito antes de realizar os procedimentos cirúrgicos necessários. Com o valor arrecado foi pago os gastos que já haviam sido contabilizados.

Esse não é o primeiro atropelamento

A reportagem do Jornal A Semana foi até o Centro Veterinário Popular Zoo Place, que prestou o atendimento ao animal. Lá conversou com veterinária Tamara Santos e a estudante Fernanda Santos. Elas foram as responsáveis pelo atendimento emergencial de Nikita, que teve a pele dilacerada e a pata esquerda quebrada no acidente que envolveu o ônibus.

Segundo Fernanda, casos como esse são frequentes e inclusive existe outro cão internado devido a atropelamento. “Semanalmente a gente recebe animais atropelados e, normalmente, o motorista negligencia e não presta o atendimento. Quem resgata o animal e traz para a gente são moradores que passam e querem ajudar”, explica a estudante de veterinária.

Para ela, isso só mudaria se houve um trabalho voltado a educação e respeito no trânsito. “Falta conscientização dos motoristas. Isso nós vemos diariamente. É óbvio que acontecem acidentes e que não tem como evitar, mas também vemos que têm vezes que é possível evitar. Acho que somente uma vez que recebemos o motorista com o animal”, justifica Fernanda.

Já a veterinária responsável disse que isso também passa por uma legislação mais forte sobre o controle populacional dos animais, para evitar que abandonos ocorram. “A maior conscientização tem que ser a castração. Isso não impede que acidentes aconteça, mas diminui a quantidade de animais nas ruas. Alvorada é uma cidade grande e que não tem legislação sobre a castração dos animais, mas isso é necessário”, conclui Tamara.

COMENTÁRIOS ( )