Sexta-Feira, 07 de Outubro de 2022 |

Cemitério Parque São Jerônimo faz investimento e adota produção de energia solar

O empreendimento vai economizar mais de R$ 31 mil – valor corresponde a 89% da conta de luz mensal

Por Redação em 02 de Setembro de 2022

"O Cemitério Parque São Jerônimo fica localizado no Bairro Formoza" (Foto: Divulgação)


O Cemitério Parque São Jerônimo, no Bairro Formoza, iniciou recentemente a produção de energia limpa. Isso porque o local recebeu a instalação de 60 placas fotovoltaicas – equipamentos responsáveis por captar a luminosidade e transformá-la em energia elétrica suficiente para suprir 100% da demanda energética do cemitério. Com isso, o local atingiu a independência energética.

Em entrevista, o gerente do local, Eduardo Abreu, explicou suas motivações em promover esta mudança no empreendimento. “Tanto pelo fator de podermos trabalhar com energia limpa renovável (sustentabilidade) quanto pela redução de custos de fornecimento de energia elétrica optamos pela instalação do sistema fotovoltaico”, enfatiza o alvoradense.

Ele conta que o investimento feito foi de R$ 138 mil, mas que a previsão é de que, em três anos, o investimento seja recuperado. Somente no primeiro ano se espera economizar R$ 30 mil no custo com energia elétrica – em torno de 89% do que é gasto –, algo que os gestores acreditam ser uma economia significativa devido a inflação energética do Brasil.

Um fato destacado pela Elysia – empresa contratada para prestar o serviço – foi o momento escolhido para este investimento. Isso porque o Parque São Jerônimo optou por concretizar o projeto antes de janeiro de 2023, quando entrarão em vigor as novas regras de geração distribuída. Por esse motivo, portanto, o local não terá a cobrança tarifária adicional, que passa a incidir sobre os sistemas instalados no próximo ano.

Por conta disso, o empreendimento também fica protegido de novos aumentos tarifários sobre a conta de luz. A imunidade contra a chamada inflação energética confere à gestão do local maior previsibilidade orçamentária, além da possibilidade de ampliar o investimento em outras áreas. O sistema fotovoltaico tem uma vida útil estimada em pelo menos 25 anos.

Faz pouco tempo que as obras foram concluídas e o projeto colocado em prática – final do primeiro semestre – e a avaliação por parte da gerencia é positiva. “Até o momento avaliamos como muito promissora nossa mudança para o sistema fotovoltaico. Já contabilizamos uma redução média mensal de 89% na conta de luz e logo estaremos suprindo energia suficiente para suprir 100% da demanda energética”, afirma o gerente.

Além disso, os gestores também destacam o impacto ambiental do projeto. “Na esfera ambiental, o cemitério também deixa sua contribuição significativa. Em ano de funcionamento do sistema fotovoltaico, o cemitério São Jerônimo vai deixar de emitir 23.690 Kg de CO2 na atmosfera. O local, portanto, vira referência sustentável e torna-se um exemplo a ser seguido por outras instituições do setor funerário”, conclui Abreu.

COMENTÁRIOS ( )