Quinta-Feira, 23 de Maro de 2023 |

Poluição e descarte irregular no Rio Gravataí gera preocupação em municípios

Possibilidade de uso de retroescavadeira de Alvorada foi descartada no momento

Por Redação em 10 de Fevereiro de 2023

"A reportagem do Jornal A Semana foi até Cachoeirinha para compreender o problema" (Foto: Divulgação)


Em meio a uma das maiores estiagens no período recente, uma denúncia chocou os moradores do Rio Grande do Sul – principalmente os abastecidos pelo Rio Gravataí: um trecho de 100 metros aproximadamente está coberto de lixo. O trecho em questão fica no município de Cachoeirinha e virou pauta após as imagens serem divulgadas pela imprensa no decorrer da semana.

O nível baixo das águas do Rio Gravataí tem sido motivo de preocupação aos municípios da Região Metropolitana. Além da estiagem, recorrente nesta época do ano, o descarte de resíduos de forma irregular agrava o problema. O trecho fica em Cachoeirinha e está há cerca de cinco quilômetros da zona de captação da Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN) em Alvorada.

Prefeitura de Cachoeirinha se pronuncia

Em nota nas redes sociais, a Prefeitura de Cachoeirinha informou que foi convocado um Comitê de Emergência para monitorar e adotar as medidas necessárias no trecho. As prefeituras de Alvorada e Gravataí se colocaram à disposição para ajudar com máquinas e equipamentos, e na quarta-feira, 08/02, foi feita a análise do terreno para ver se há condições do local receber uma escavadeira de 22 toneladas para ajudar na limpeza.

Retroescavadeira não será utilizada

Em entrevista, o secretário de Meio Ambiente (SMAM), Rudi Guzati, explicou que houve a definição de que Alvorada iria avaliar o acesso da retroescavadeira, mas que os municípios vizinhos tomaram outra decisão. Segundo o titular da pasta, a ideia das cidades de Gravataí e Cachoeirinha é construir uma contenção próximo a ponte do Rio e fazer com que o lixo siga até lá para daí fazer a retirada.

COMENTÁRIOS ( )