Sábado, 16 de Dezembro de 2017 |

Serviço de coleta seletiva é retomado no município

Os trabalhos iniciaram no dia 01° de junho, após 30 dias paralisados

Por Redação em 04 de Agosto de 2017

"Coleta seletiva passa nas principais avenidas de todos os bairros" (Foto: Jornal A Semana)


Conversando com moradores da cidade, a equipe do Jornal A Semana averiguou que boa parte da população não sabe como está funcionando o serviço de coleta seletiva. Para sanar essas dúvidas, a reportagem foi até a Secretaria de Obras e Viação para descobrir como funciona o programa, o cronograma de serviços e a destinação final do material recolhido.

A coleta seletiva é responsável pelo recolhimento de matérias recicláveis, como papelão, papéis, latas, plásticos, entre outros resíduos que possam ser reaproveitados. Para saber sobre a atual situação do serviço prestado pela cidade, conversamos com o engenheiro civil Jairo Vargas, servidor responsável pela fiscalização e administração dos trabalhos dentro do Executivo.

Jairo Vargas explica que o serviço foi interrompido por 15 dias, entre o dia 15 de maio e 01° de junho, devido ao rompimento de contrato com a empresa Engesa. Isso fez com que, devido aos procedimentos burocráticos de rescisão e, posteriormente, contratação de uma nova empresa para realizar o recolhimento. Todos esses trâmites culminaram na retomada dos serviços em junho, agora através da Ecopav, que também é responsável pelo lixo orgânico.

O engenheiro também explica que o caminhão passa nas principais avenidas de todos os bairros e que, no momento, a empresa também está fazendo o cadastro das pessoas que querem ter seu lixo reciclável sendo recolhido. Assim, segundo Vargas, o caminhão deve entrar nas ruas e endereços cadastrados e fazer o recolhimento dos materiais de quem solicitou. Outro fator que estava sendo trabalhado até a última semana foi o cronograma de bairros.

“Nos primeiros dias que fizemos a rota, acabou coincidindo com os dias em que o caminhão do orgânico também passava. Isso acabou causando problemas, porque as pessoas separavam, mas, os funcionários acabavam se confundindo e recolhendo o material errado. Por isso, no final da semana passada, reajustamos os cronogramas para que os caminhões passassem em dias diferentes em cada bairro”, enfatiza Vargas.

Ainda conforme Vargas, o caminhão que realiza esse serviço compacta até dez toneladas, o que dá, aproximadamente, uma carga por dia. Entretanto, na balança, a quantia não é essa, porque o lixo reciclável é mais leve que o orgânico. “Antes, quando a Engesa era a responsável pelo recolhimento, a média era de 60 toneladas por mês de lixo seletivo. A Ecopav deve estar mantendo um número parecido, porém ainda não foi feito o levantamento”, ressalta.

A coleta seletiva arrecadada é dividida entre duas cooperativas da cidade: a Associação de Catadores de Alvorada (ACATA) e a Correal. As duas recebem o material e são responsáveis pela separação e, posteriormente, venda dos mesmos. Segundo o secretário de Obras e Viação, Valdemir Martins, esse material destinado para as cooperativas diminui os gastos do município com a destinação do lixo.

“Para o município qualquer lixo que não precise ser destinado para Minas do Leão o Executivo deixa de gastar. No processo todo é gasto, aproximadamente, um milhão por mês. Esse é um dos maiores gastos do Município. Já na Coleta Seletiva gastamos R$ 99 reais por tonelada coletada”, finaliza o titular da pasta.

Serviço
Caso você queira que o caminhão da coleta seletiva passe em sua rua, entre em contato com a Ecopav através do telefone: (051) 3442.1934. Assim é possível se cadastrar e, semanalmente, o lixo reciclável será recolhido.

COMENTÁRIOS ( )