Tera-Feira, 22 de Setembro de 2020 |

Alvorada recebe seis novos delegados da Polícia Civil

Alguns profissionais, formados na semana passada, já estão atuando em seus postos de trabalho

Por Redação em 11 de Setembro de 2020

"Delegada Samieh já ocupa o cargo desde o início deste mês" (Foto: Divulgação)


A formatura de 55 homens e mulheres, das mais variadas idades, no 47º curso de Delegado de Polícia da Polícia Civil gaúcha, realizada na semana passada, em Porto Alegre, reservou uma boa notícia para Alvorada. Seis destes profissionais foram designados para trabalhar no município e alguns já estão atuando em delegacias espalhadas pela cidade.

Conforme conta Juliano Ferreira, delegado da Delegacia Regional Metropolitana, Carlos Eduardo Silva de Assis é o novo titular da 1DP e Samieh Bahjat Saleh, é a titular da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Alvorada e já estão trabalhando.

Na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), quem atenderá a comunidade é Alfredo de Oliveira Ineu, Rafael Erick da Silva, Gabriel Casanova Dantas e Marcela Longo Ehler, que devem iniciar o trabalho na primeira semana de outubro, quando o lugar retoma os flagrantes. “Só com a vinda dos agentes, não adianta ter delegados e não ter agentes suficientes para suportar a escala de plantão, a DPPA de Alvorada só retoma as atividades a pleno até o dia 05 de outubro. Então eu peguei esses três delegados e coloquei nas DPPAS de Gravataí e Viamão para pegar uma certa experiência e quando retomar, retomam com tudo, mas já estão lotados e a disposição de Alvorada”, explica.

Ferreira acredita que esta retomada do serviço por inteiro, acresce o trabalho e traz melhorias no atendimento das forças de segurança que necessitavam ir até Viamão onde estavam sendo realizados os trabalhos anteriormente. “Com os agentes em Alvorada o tempo de espera de custódia reduz mais da metade do tempo, ou seja, o policiamento ostensivo não perde tanto da Brigada Militar quanto da Guarda Municipal e as próprias informações que vão ficar em Alvorada”, fala.

Ainda, o delegado fala que a partir do próximo mês irá ser implantado na cidade o projeto de ação integrada entre Polícia Civil e Brigada Militar que deve trazer mais agilidade no trabalho desenvolvido por ambas. “A área da 1ª DP deve corresponder a 1ª Companhia da Brigada, a 2ª DP deve corresponder a 2ª Companhia da Brigada, e isso deve otimizar o trabalho e a informação, porque o mesmo delegado e equipe da 1ª DP vai se dirigir e conversar com a mesma Companhia sempre com o mesmo comandante da Brigada Militar o que estreita muito a comunicação entre os órgãos de segurança”, conta.

Sobre armamentos e viaturas, o delegado disse que sempre há essa possibilidade e que o Estado está em processos para aquisição de viaturas e armamentos. “Claro que a região recebendo, Alvorada deve ser beneficiada uma vez que há é ponto muito importante na região e merece a nossa atenção”, conclui.

Atendimento à mulher

Com a chegada de novos delegados à cidade, a DEAM, está sendo contemplada com os trabalhos de Samieh Bahjat Saleh desde o dia 03 de setembro. Em entrevista, a nova delegada conta que antes trabalhava como inspetora da Polícia Civil em Porto Alegre e que pela importância da DEAM optou por vir para Alvorada.

Sobre o trabalho que pretende desempenhar na cidade, Samieh disse que tem conversado com a delegada de Viamão e que pretende estruturar a rede de proteção à mulher de Alvorada como ocorre na cidade vizinha. “A mulher de Alvorada tem que saber que a DEAM está aqui para ela vir registrar sempre a ocorrência, tem muitos casos que a gente sabe que acaba não registrando, então fazer esse papel mais social de mostrar que a DEAM está aqui para a mulher, para que, quanto mais registrar, vamos evitar crimes mais graves. Então se a gente puder passar anos sem ter um feminicídio é o que importa. Quanto mais fizermos um trabalho preventivo melhor”, avalia.

Curso em meio a pandemia

A formação dos delegados terminou depois de seis meses de um curso marcado por adversidades em meio a um cenário, até então, novo no país. A preocupação principal era com a saúde dos alunos, professores e funcionários da Academia de Polícia (ACADEPOL), a qual se viu forçada a inovar. A criação de uma plataforma virtual para oferecimento das aulas na modalidade de ensino à distância (EaD) possibilitou que a formação dos alunos não fosse prejudicada. Mais tarde, a adoção de um protocolo rigoroso com medidas sanitárias para proteção à Covid-19 fechou o ciclo e permitiu que os futuros delegados se reunissem novamente na sede da academia para a conclusão presencial do curso.

A nova turma de delegados é composta por homens e mulheres com idades entre 27 e 45 anos, sendo 29 do Rio Grande do Sul. Os demais são do Rio de Janeiro (5), Santa Catarina (5); Paraná (3), Minas Gerais (2), Rio Grande do Norte (2), Distrito Federal (2), Bahia (1), Ceará (1), Espírito Santo (1), Piauí (1), Pernambuco (1), Rondônia (1) e São Paulo (1).

COMENTÁRIOS ( )