Quinta-Feira, 19 de Outubro de 2017 |

Aprovada frente parlamentar que debaterá a segurança da cidade

Projeto entrou na pauta após assassinato na Praça João Goulart

Por Redação em 08 de Setembro de 2017

"Vereador Cristiano Schumacher foi o responsável por apresentar o projeto em sessão" (Foto: Guilherme Wunder)


No último final de semana as redes sociais reverberaram mais um assassinato que aconteceu na cidade. Desta vez o crime ocorrido foi no anfiteatro da Praça João Goulart, no centro do município. A insegurança dos alvoradenses motivou a Câmara de Vereadores a votar e aprovar – por unanimidade – a criação de uma frente parlamentar para debater a segurança pública da cidade.

O projeto é uma proposta do vereador Cristiano Schumacher (PT) e tem como objetivo promover e discutir questões referentes na cidade. Segundo o próprio político, todas as bancadas poderão indicar quantos vereadores quiserem, sem limitação por partido. A ideia já é iniciar as reuniões da comissão a partir da próxima semana.

“Nós chegamos num momento de tanta gravidade da situação econômica, financeira e social de Alvorada, que nós não podemos mais nos dar o luxo de escolher os parceiros que nós vamos lutar. Se as pessoas estão querendo lutar conosco, temos que chamar e pegar junto. Isso independente da questão política e partidária”, salientou Schumacher.

Outra vereadora que se posicionou sobre o tema foi Claudia Girelli (PTB), que aproveitou a oportunidade para pedir uma união entre todos os políticos em prol da segurança da cidade. Segundo ela, quando foi pedidos votos para a população, a promessa era de uma cidade melhor e é isso que ela quer lutar para fazer.

“Com certeza nós não podemos tapar todos os buracos ou solucionar todos os problemas. Mas alguma coisa para melhorar a vida do cidadão alvoradense tem de ser feita. Só assim é possível resgatar a alta estima da população. Temos que esquecer nossa vaidade e nossa bandeira partidária, pois o que está em jogo é a nossa sociedade”, ressalta Claudia.

O vereador Júlio Bala (PMDB) aproveitou a oportunidade para ressaltar que o incidente do último final de semana não tem nenhuma ligação com o acampamento farroupilha, respondendo aos boatos que surgiram nas redes sociais. Segundo ele, o ocorrido nem aconteceu nas dependências do acampamento e sim próximo à pista de skate.

“Infelizmente, sempre que os tradicionalistas estão presentes acontece algum episódio triste como esse. Mas ele era uma carta marcada. Se fosse alguém do bem não teria acontecido. Tinham cerca de 400 pessoas na praça. Eu mesmo estava na praça e vi toda a correria. O alvo era um só e não o povo em geral. O que aconteceu ali foi um episódio e a população não precisa ter medo de ir e aproveitar a semana farroupilha”, enfatiza Bala.

Também utilizaram a tribuna os vereadores Airton Pacheco (PMDB), Celmir Martello (DEM), Irmã Sara (PMDB), Jackson do Hospital (PMDB) e Leandro Tur (PT).

COMENTÁRIOS ( )