Domingo, 17 de Janeiro de 2021 |

Brigada Militar e Escola Salvador Jesus Cristo levam o Papai Noel para diversos bairros do município

Foram cinco atividades em regiões distintas para contemplar o maior número de crianças

Por Redação em 24 de Dezembro de 2020

"Foram cinco dias de atividades e que contemplaram os bairros Americana, São Pedro, Aparecida, Stella Maris e Passo do Feijó" (Foto: Soldado Albarello/24º BPM)


Teve início no dia 08 de dezembro e foi até quinta-feira, 17/12, uma série de atividades promovidas pelo 24º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e a Escola Salvador Jesus Cristo para levar a solidariedade do natal para os mais diversos bairros da cidade. A ação faz parte do projeto ‘Natal Solidário da Brigada Militar’, que aconteceu pelo segundo ano consecutivo – novamente em parceria com a instituição de ensino.

Foram cinco dias de atividades e que contemplaram os bairros Americana, São Pedro, Aparecida, Stella Maris e Passo do Feijó. Todos esses eventos contaram com parcerias de instituições próximas aos locais também. Entre essas entidades estavam a Associação Comercial e Industrial de Alvorada (ACIAL), o Instituto Kizomba, a Escola Stella Maris e o Projeto Espaço Mussa.

Esse ano, o projeto funcionou da seguinte forma: crianças de cinco localidades escolhidas pelos policiais dentro dos bairros – baseado em área de risco e situação de vulnerabilidade social – escreveram cartas que foram adotadas por entidades, instituições e pessoas físicas. Ao todo, foram mais de 700 crianças que receberam brinquedos e presentes neste ano.

Além dos brinquedos, também foram doadas toneladas de alimentos nos cinco bairros contemplados neste ano. Isso porque, nas cartinhas que foram distribuídas e recolhidas pelo próprio batalhão, haviam pedidos como brinquedos, cestas básicas, leite, material escolar, pizza, peru, pote de Nutella, roupas, calçados, bolas, dentre outras simples lembranças ou necessidades das famílias.

O trabalho social do 24º BPM

Segundo o comandante do 24ª BPM, tenente-coronel Jefferson de Melo, os trabalhos sociais são feitos com alegria, amor e carinho; sem qualquer tipo de interesse pessoal e sem misturar projetos. Tudo isso com o objetivo de ver a expressão de felicidade no rosto das crianças e pais que recebem os presentes das dezenas de cartas escritas pelas crianças e adotadas pela população.

Melo explica que tudo isso parte diretamente dos servidores e não tem relação com o comando. “É uma iniciativa dos policiais que exercitam o espírito de ajudar o próximo. Isso para quem precisa nesse momento tão complicado em um ano atípico de pandemia do coronavírus. É uma ação que não precisa da minha ordem, porque parte dos nossos policiais, que também buscam parceiros na cidade”, salienta o tenente-coronel.

Para ele, o maior impacto que existe nesse momento é ver o espírito de solidariedade nas pessoas. “O mais comovente é a humildade dos pedidos de natal. Muitos pediram uma caixa de leite, uma cesta básica e um alimento para passar as festas de final de ano. Além disso, tivemos muitos pedidos de brinquedos. Graças a Deus todas essas cartas foram adotadas”, finaliza Melo.

Importância dada pela ESJC

Pelo segundo ano consecutivo, a Escola Salvador Jesus Cristo (ESJC) participa das atividades natalinas promovidas pelo 24º BPM. Em entrevista, a diretora da instituição, Sara Penteado, conta que essa parceria já existia na festa de Dia das Crianças e foi ampliada após a sugestão de uma mãe. Isso porque antes a escola adotava as cartas junto aos Correios, mas depois veio a ideia de realizar direto nos bairros da cidade.

É nesse momento que surge a parceria com o 24º BPM nas ações de natal. “Os locais que a gente entrega as cartas são lugares que a gente não conseguiria entrar sozinho. Então é uma parceria que dá muito certo, pois nós entramos com a divulgação e organização de todo o projeto e a Brigada Militar recolhe as cartinhas e entrega para a escola. Depois disso, as duas instituições vão juntas fazer a entrega”, relata Sara.

Para a diretora, essas atividades têm impacto direto nos bairros carentes e na comunidade escolar. “Essas ações têm dupla importância. Elas são importantes para as crianças que recebem e para as pessoas que adotam essas cartinhas. Assim a gente mostra para a nossa comunidade escolar a quantidade de pessoas que precisam de ajuda. Isso planta a semente da solidariedade na população”, finaliza a diretora.

COMENTÁRIOS ( )