Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017 |

Operação Luz na Infância contra à exploração sexual infantil

Participaram da operação 88 policiais, sendo 73 agentes e 15 delegados, mais 14 peritos do IGP

Por Redação em 27 de Outubro de 2017

"Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em diversos municípios da região metropolitana, entre as quais Alvorada." (Foto: Divulgação)


Na manhã de sexta-feira, 20/10, a Polícia Civil, através do Gabinete de Inteligência e Assuntos Estratégicos (Gie), do Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), em parceria com o Instituto Geral de Perícias (IGP) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), deflagrou a operação integrada Luz na Infância, que tinha como objetivo apurar crimes de exploração sexual infantil. Participaram da operação 88 policiais, sendo 73 agentes e 15 delegados, mais 14 peritos do IGP.

Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em diversos municípios da região metropolitana, entre as quais Alvorada. Na operação, nove pessoas foram presas, pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, armazenamento e compartilhamento de imagens de conteúdo pornográfico infanto-juvenil. Perícias preliminares foram realizadas ainda nos locais das buscas. Computadores, pen-drives, celulares, máquinas fotográficas, dispositivos de mídia e armas foram apreendidas.

Segundo a Del. Andrea Magno, titular da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV/Deca), “em um primeiro momento, com o apoio do IGP, buscou-se identificar o armazenamento e o compartilhamento de imagens de sexo contendo crianças e adolescentes e, posteriormente, as investigações irão identificar as vítimas e os locais em que os vídeos foram feitos”.

Os alvos da operação Luz na Infância foram identificados através de um levantamento de informações realizado pela Senasp e pela Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil - Adidância da Polícia de Imigração e Alfandega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE).

De acordo com o Del. João Paulo de Abreu, “existem técnicas para a investigação de crimes de pedofilia, em especial aos crimes praticados na internet, e essas técnicas foram empregadas na identificação de diversos locais no nosso estado, onde pessoas teriam realizado downloads e compartilhado materiais de cunho pornográfico”.

COMENTÁRIOS ( )