Terça-Feira, 20 de Fevereiro de 2018 |

“Não vamos favorecer nenhum clube em especial”, salienta secretário e presidente da S.E.R. Alvorada

Secretários Alcides Bolico e Paulo Ramos afirmam que não existe ilegalidade em permanecerem no governo

Por Redação em 19 de Janeiro de 2018

"Paulo Ramos foi eleito vice-presidente do Rabelo para 2018" (Foto: Arquivo A Semana)


O cenário do futsal alvoradense vem ganhando força nos últimos anos. Primeiro com a fundação da S.E.R. Alvorada, que venceu a Série Bronze e, atualmente, disputa a Série Prata, que é o equivalente a segunda divisão do campeonato gaúcho. Agora a Rabelo anunciou que está trabalhando para participar da Série Bronze em 2018 e iniciar uma trajetória nas competições estaduais.

Coincidentemente, os dois clubes têm em sua diretoria nomes conhecidos. Isso porque o secretário de Cultura, Juventude, Esporte e Lazer (SMCJEL), Alcides Bolico, é o novo presidente da S.E.R. Alvorada, enquanto o secretário de Governo e Gabinete (SGG), Paulo Ramos, é o vice-presidente da Rabelo. Essa decisão dos políticos de concorrem para fazer parte da diretoria dos clubes e acumular cargos no governo fez com que pessoas indagassem nas redes sociais sobre a legitimidade de tal ato.

Entretanto, não existe nenhuma legislação que proíba que um cargo público assuma como dirigente em um clube de futsal. Talvez o maior exemplo de que isso acontece é que o ex-deputado estadual Paulo Odone (PPS) acumulou os cargos de representante do povo na Assembleia Legislativa e presidente do Grêmio Foot Ball Porto Alegrense em mais de uma oportunidade. Contudo, mesmo assim, essa situação causou furor nas redes sociais.

Não se sabe os motivos deste questionamento, mas o secretário Bolico ressalta que deve ser o medo de favorecimento de um time em detrimento de outro. Contudo, o titular da pasta afirma que isso nunca aconteceu e nem acontecerá. Tanto que, no ano passado, o titular da pasta fazia parte da diretoria do clube e isso em nada interferiu no tratamento que a S.E.R. Alvorada recebeu, quando comparado com os outros times de futsal da cidade.

Em entrevista a reportagem do Jornal A Semana, Bolico afirmou não entender o porquê isso está sendo questionado e salientou que nenhum time será beneficiado. “Todas as contas são separadas. Minha vida pessoal não interfere nos meus trabalhos na Prefeitura. A S.E.R. Alvorada colocou nossa cidade dentro do cenário gaúcho de futsal, mas isso não vai mudar minha gestão. Nós não vamos favorecer nenhum clube em especial, mas sim o esporte do município”, ressalta o presidente do clube.

O secretário da SMCJEL falou ainda que nunca faria algo que prejudicasse seu mandato ou os projetos desenvolvidos frente à pasta na qual trabalha. Além disso, confirmou que permanecerá no cargo e que não pensa em sair do Governo. “Qualquer outra agremiação que for participar de uma competição estadual receberá o mesmo tratamento. Ninguém vai ter um favorecimento. Nós ficamos felizes que o município está crescendo nessa área e queremos apoiar a todos”, finaliza Bolico.

A reportagem do Jornal A Semana conversou também com o secretário da SGG, Paulo Ramos, que é vice-presidente da Rabelo em 2018. Segundo ele, não existe nenhuma incompatibilidade legal com os cargos públicos exercidos. “No ponto de vista legal não existe nada. Um grande exemplo disso é o deputado Paulo Odone, que era presidente do Grêmio. Não é necessário deixar um cargo em detrimento do outro. As duas funções são independentes”, destaca o titular da pasta.

A S.E.R. Alvorada já está se preparando para a disputa da Série Prata em 2018. Até o momento já foram anunciadas renovações e o clube busca apresentar reforços. Já a Rabelo está trabalhando para se inscrever na Série Bronze. Contudo, até o momento, o clube ainda não confirmou sua presença na competição em 2018.

COMENTÁRIOS ( )