Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2020 |

Câmara não vota novos projetos e parlamentares seguem debatendo projetos do funcionalismo

Os parlamentares utilizaram a tribuna para afirmar que estão ao lado dos servidores públicos

Por Redação em 16 de Outubro de 2020


A Câmara de Vereadores realizou na noite de terça-feira, 13/10, mais uma sessão ordinária. Devido ao feriado de 12 de outubro, a ordem do dia não foi divulgada no prazo previsto e, por causa disso, não houve projetos sendo votados pelos parlamentares. Contudo, alguns vereadores aproveitaram o expediente para falar sobre os projetos do Executivo que não foram aprovados na última semana.

Isso porque, a Prefeitura divulgou uma nota oficial na quinta-feira, 08/10, informando que os dois projetos apresentados têm decorrência da Emenda Constitucional Nº 103 e que o município precisa aprovar ambos os projetos. Segundo a nota, com isso o município não ficará regular junto ao Ministério da Previdência Social e isso poderá impossibilitar a vinda de recursos.

Parlamentares na tribuna

Em sua fala, o presidente Juliano Marinho (PSD) agradeceu a Júlio Bala (MDB), que recentemente abriu apoio a candidatura de Marinho a prefeito, por não ter votado contra o funcionalismo por causa dos cargos. Segundo ele e segundo ao emedebista, os cargos que Bala tinha na Prefeitura foram exonerados após a última votação que não autorizou o aumento da alíquota previdenciária.

Além disso, o presidente agradeceu ao Gerson Luís e ao Nelsinho Fernandes pelo trabalho realizado pelo PTB e disse estar decepcionado com os outros parlamentares do partido. “Felizmente eu não dependo da política para viver e não preciso trocar o meu voto por cargos para sustentar a minha família. Contudo, infelizmente, na nossa casa legislativa tem parlamentares que fazem”, desabafa Marinho.

Já Bala explicou os motivos de ter votado contrário aos projetos apresentados pela atual administração e disse que tem posições fortes, independente dos partidos. “Se o projeto que a Prefeitura tivesse enviado fosse escalonado e não prejudicasse os nossos trabalhadores, eu teria aprovado. Eu sou sindicalista e sempre estive ao lado do trabalhador, então nunca votarei contra o funcionalismo”, justifica o emedebista.

Convocações da CPI

A CPI da Educação teve início essa semana. Na oportunidade, o presidente Gerson Luís (PTB) apresentou as convocações ao prefeito José Arno Appolo do Amaral (MDB) e as ex-secretárias de Educação (SMED), Viviane Dutra, Nadir Machado e Nubia Mendes. A CPI investigará os gastos da pasta com a locação de caminhonetes, compra de lousas digitais e de tênis para os alunos.

COMENTÁRIOS ( )