Sbado, 27 de Fevereiro de 2021 |

Secretária de Saúde é convocada pela Câmara para falar da imunização contra a Covid-19

Esclarecimentos foram feitos em uma sessão extraordinária convocada pelo presidente do Legislativo

Por Redação em 29 de Janeiro de 2021

"Após as explanações da secretária, a sessão foi retomada para debater dois projetos que estavam na ordem do dia" (Foto: Guilherme Wunder)


A Câmara de Vereadores realizou na tarde de segunda-feira, 25/01, a sua segunda sessão extraordinária nessa legislatura. Na ocasião, os parlamentares receberam a secretária de Saúde (SMS), Neusa Abruzzi, para falar sobre o plano de imunização proposto pelo município. A convocação se deu após os boatos que surgiram nas redes sociais de que a vacinação não estava respeitando os públicos prioritários.

Sabatina à secretária

Um dos primeiros questionamentos feitos foi do número de profissionais da saúde vacinados. “Nós tivemos, entre Hospital e funcionários do município, foram 614 trabalhadores da saúde vacinados. Eu quero deixar bem claro que nós fizemos o nosso protocolo, mas teremos de mudar algumas coisas no nosso calendário. Isso para contemplar os usuários da Clinica do Rim”, enfatiza Neusa.

Contudo, muitos querem saber quem são os imunizados. Segundo Neusa, o cadastro está sendo preenchido. “Tem um sistema do Ministério da Saúde que eu ainda não sei se é público, mas nós temos 72 horas para colocar no sistema as pessoas que estão sendo vacinadas. Contudo, devido ao sistema sobrecarregado, tivemos um aumento no prazo, mas eles serão cadastrados”, explica a titular da pasta.

Essa desconfiança virou pauta após as notícias veiculadas no último final de semana, mas a titular da pasta desmentiu os erros. “Eu jamais diria que sobrariam vacinas se temos uma população de 211 mil e recebemos pouco mais de mil doses. Eu nunca falaria uma besteira dessas. Nós terminamos um dos grupos prioritários e seguimos para a etapa seguinte. Foi isso que aconteceu”, salienta a secretária.

Questionada sobre os motivos de alguns servidores que não são locados na SMS ter sido vacinada, ela explicou. “Existem colegas que aparecem no Portal da Transparência como lotados em outras secretarias, mas que desde o início da pandemia estão trabalhando conosco na saúde. A efetividade deles sai da nossa secretaria e nós podemos comprovar que eles estão trabalhando”, justifica Neusa.

Por último, Neusa afirmou o que já vinha dizendo nas redes sociais quando questionada sobre a vacinação de cargos comissionados. “Nenhum CC que trabalha em outra secretaria foi vacinado. Quem me conhece sabe que eu não diria uma mentira na frente dos vereadores que representam a nossa população”, finaliza a titular da pasta.

Ordem do dia

Após as explanações da secretária, a sessão foi retomada para debater dois projetos que estavam na ordem do dia. O primeiro foi o nº 008/2021, que tratava do cálculo da gratificação natalina sobre as médias das remunerações recebidas pelos servidores. Também foi debatida a flexibilização do parcelamento do popularmente conhecido 13º salário dos funcionários.

O outro projeto tratava da extinção da Secretaria de Direitos Humanos (SMDH) e de seis cargos de vice-diretores de escolas. Com isso, os funcionários da extinta pasta, bem como suas obrigações, foram transferidos para a Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (SMTASC). Além disso, foram criados dois cargos de superintendência na SMOV e na SEMSU.

O projeto teve algumas emendas apresentadas. O vereador Juliano Nascimento (PSB) solicitou a redução dos salários dos cargos criados e, tanto ele quanto a vereadora Giovana Thiago (PT) pediram que os cargos de vice-diretores não fossem extintos do quadro. Contudo, após apresentação das emendas e discussão dos parlamentares, as proposições foram vetadas e a lei aprovada na íntegra.

COMENTÁRIOS ( )