Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018 |

Uma gestão voltada para a austeridade financeira da Câmara de Vereadores

Presidente do Legislativo em 2017, Darci Barth economizou para poder concluir obras em novo prédio

Por Redação em 29 de Dezembro de 2017

"Vereador Darci Barth está em seu quarto mandato como vereador e o primeiro como presidente" (Foto: Guilherme Wunder)


Há cerca de duas semanas, o vereador Arlindo Slayfer (PDT) venceu as eleições e foi eleito o presidente da Câmara de Vereadores em 2018. O político assume o posto do doutor Darci Barth (PMDB), que presidiu o Legislativo neste primeiro ano de governo do seu quarto mandato como vereador em Alvorada.

Conhecido na cidade pela sua profissão de médico, Barth teve como foco do seu mandato a austeridade financeira e uma gestão mais democrática, independente de partido ou de ser base/oposição do atual governo. Pelo menos isso é o que o vereador salientou em uma entrevista exclusiva concedida à reportagem do Jornal A Semana.

O objetivo era fazer um balanço deste ano de 2017 no poder Legislativo do município e saber o que fica de legado para a gestão que assume no próximo ano. E, essa gestão mais democrática, foi muito salientada em diversos momentos, inclusive pelo vereador Celmir Martello (DEM), que passou pelo gabinete do presidente enquanto a entrevista era realizada.

“Isso era um espaço democrático e nós conseguimos reverter muita coisa antes de ser votada. E olha que sou oposição e não votei nele (risos)”, brincou Martello. Segundo Barth, essa ressalva da gestão feita neste ano aconteceu porque, todas as segundas-feiras, eram feitas reuniões com todos os 17 vereadores para debater os projetos que iriam entrar na ordem do dia seguinte – as sessões ocorrem todas as terças-feiras.

Essa democracia, junto a austeridade financeira, foram as duas premissas que nortearam a presidência de Barth. Talvez mais a questão financeira, visto os altos números com diárias que foi manchete em veículos de todo o estado. “Na realidade uma palavra sintetiza o meu mandato neste ano, que é austeridade. Então toda minha gestão foi baseada nesta palavra. Tudo que eu fiz foi pautado por isso aí. A classe política está desacreditada. O político não é mais bem visto no Brasil inteiro, muito pela corrupção”, explica o vereador.

Segundo o ainda presidente do Legislativo, a ideia de uma gestão economicamente saudável vem desta vontade de mostrar para a população que ainda existem políticos sérios e que merecem ser reconhecidos por isso. “Estamos com o dinheiro público, arrecadado com o povo e para eles. Temos a obrigação de ser responsáveis que nem somos na nossa casa. A austeridade foi o foco em todos os sentidos”, salienta Barth.

O político explica ainda que, no começo, houve certa resistência de alguns vereadores para as ações desenvolvidas, mas que, aos poucos, os legisladores compreenderam que aquilo era bom para a Câmara e para a cidade. “Quem está dando esse dinheiro é a cidade, então nada mais justo do que sermos coerentes e racionais para investir na cidade. Nós estamos governando para a cidade e não para ninguém em especial”, justifica o médico.

Dentre as mudanças colocadas em prática no ano de 2017 para diminuir os gastos estavam a regulamentação das diárias, a diminuição de cargos da mesa diretora, a redução substancial das despesas dos gabinetes e o processo seletivo dos estagiários. O resultado destas ações foi uma economia de R$ 482.101,01 no decorrer do ano.

Legado para 2018

Além de ser conhecido como médico no município, Darci Barth também já teve a oportunidade legislar em outras três oportunidades. Segundo ele, tudo o que foi planejado e colocado em prática neste seu primeiro ano do quarto mandato vem do que ele tem de experiência na vida pública e na profissão na qual exerce. Também pesa o fator da relação com o município e a vontade de fazer a diferença.

Pensando nisso que Barth deseja que o novo presidente da Câmara siga com o processo de uma gestão econômica. “Fizemos economia com comida, água, limpeza, estagiários, vale alimentação, diária, redução de cargos, entre outras ações. Que esse processo de gestão com austeridade seja dada sequência pela próxima gestão”, ressalta o vereador.

Encerrando a entrevista, Barth salientou não ter conseguido fazer apenas uma coisa em seu ano como presidente: o reinício das obras do novo prédio. Isso porque, apesar de ter feito a economia para que isso fosse colocado em prática, empecilhos burocráticos trancaram o processo licitatório.

Contudo, mesmo que a obra não tenha sido reiniciada, todo o recurso poupado em 2017 será destinado para sua conclusão. “Não consegui reiniciar a obra da Câmara. Isso por uma série de percalços que ocorreram durante o processo licitatório. Mas estamos com o recurso, que será destinado para um fundo específico para a conclusão da obra”, finaliza o presidente.

COMENTÁRIOS ( )