Quarta-Feira, 27 de Janeiro de 2021 |

Alvorada reduz índices de AIDS e é o 39º no ranking nacional da doença

Em 2012, o município virou notícia por ser o primeiro colocado neste estudo

Por Redação em 24 de Dezembro de 2020

"No boletim epidemiológico divulgado pelo Governo Federal, Alvorada caiu para 39º lugar no ranking – em 2019 o município era o 25º colocado" (Foto: Arquivo A Semana)


Oito anos se passaram desde que Alvorada virou notícia nacional pelos índices de contaminados com AIDS. Na época, diversos veículos de comunicação vieram até o município para compreender a realidade da cidade e o que poderia ser feito para mudar o cenário existente. Chegou o ano de 2020 e, depois de quase uma década, o cenário já é diferente no município.

Atualmente Alvorada não é mais a líder deste estudo do Ministério da Saúde. Segundo a coordenadora do Programa Municipal DST/AIDS, Normita Bonaldo, essa redução tem justificativas. “Esse é um trabalho feito ao longo de dez anos e que está fazendo efeito. Apesar de todo o desmonte que o SUS está sofrendo, a gente está conseguindo resultados”, salienta a gestora.

No boletim epidemiológico divulgado pelo Governo Federal, Alvorada caiu para 39º lugar no ranking – em 2019 o município era o 25º colocado. Dentro do Rio Grande do Sul, o município está atrás de Rio Grande (1º), Porto Alegre (3º), Novo Hamburgo (6º), Viamão (9º), Pelotas (15º), São Leopoldo (16º), Canoas (22º) e Cachoeirinha (34º). Contudo, esse ainda não é o boletim do Governo do Estado.

Contudo, a coordenadora já projeta impactos no próximo boletim devido ao coronavírus. “A gente participa de todos os eventos da cidade. Esse ano não tivemos nenhum evento e a repercussão será vista no próximo ano. O que já notamos foi uma redução das testagens. Eu acho que a gente caia ainda mais em 2021 porque muitos não vieram fazer testes devido a pandemia”, pondera Normita.

Para a servidora municipal, essa queda não significará necessariamente que os casos estão diminuindo em Alvorada, mas sim que não estão no mapeamento devido a queda de atividades e, consequentemente, de testes. Isso pode impactar no futuro, afinal as pessoas foram menos até os postos de saúde para serem testadas e diagnosticadas para tratamento em 2020.

Governo Federal

Segundo foi informado pelo Programa Municipal DST/AIDS, o Ministério da Saúde deixou vencer um contrato e suspendeu os exames de genotipagem no Sistema Único de Saúde (SUS) para pessoas que vivem com HIV, AIDS e hepatites virais. O teste é essencial para definir o tratamento mais adequado para quem desenvolve resistência a algum medicamento.

O contrato com a empresa que realizava este exame venceu em novembro e somente em outubro, que ocorreu o processo licitatório para buscar nova fornecedora. O processo apresentou problema após a empresa vencedora não anexar todos os documentos exigidos. O Governo Federal está trabalhando em outro procedimento para poder retomar os serviços em janeiro.

Contudo, segundo a coordenadora de Alvorada, não são apenas os testes que estão em falta e que vinham do Governo Federal e o que ela considera como um desmonte prejudica os trabalhos desenvolvidos na cidade. “O nosso problema no momento é a falta de preservativos e testes que o Ministério da Saúde não está enviando mais”, finaliza Normita.

COMENTÁRIOS ( )