Sexta-Feira, 24 de Novembro de 2017 |

Com vidros quebrados e grama alta, reforma da UBS Tijuca atrasa e moradores reclamam

Secretaria de saúde projeta reinício das obras para a segunda quinzena de junho

Por Redação em 02 de Junho de 2017

"Moradores relataram que local está fechado desde o início deste ano" (Foto: Matheus Pfluck)


Há pelo menos cinco meses a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Tijuca fechou suas portas para que fosse feita uma reforma. Passados cinco meses desde então, o cenário é de vidros quebrados, grama alta e abandono na unidade que atendia 4 mil habitantes da comunidade do bairro.

A situação obriga os moradores a se deslocarem até as unidades dos bairros 11 de abril e Piratini. Outros preferem recorrer ao Pronto Atendimento Municipal (PAM-8). A moradora Sheila Almeida conta que fez seu pré-natal na UBS Tijuca e que, atualmente, seus filhos estão sem ir o pediatra por conta do fechamento. Sobre a unidade do bairro Campos Verdes, onde busca atendimento, ela reclama. “Não é o mesmo trabalho. É pior. Tem dias que eles não podem dar vacina. Meus meninos estão com as vacinas atrasadas por causa disso”, relata. Sheila ainda afirma que a última vez que viu alguma movimentação na UBS Tijuca foi no início do ano. Seguindo esta mesma linha, Nelson Dal Ago, também morador da região, conta que vai até o PAM-8 quando precisa de algum atendimento. Ele lamenta tanto tempo de inatividade da UBS e elogia o trabalho que era feito ali. “Estavam todo dia atendendo. Era bom o atendimento”, comenta.

A secretária municipal de Saúde, Neuza Abruzzi, afirma que a equipe que atendia na UBS Tijuca foi deslocada para a Unidade de Referência em Saúde (URS) Umbu, localizada no barro Salomé, onde ela revela não ter conhecimento de problemas no atendimento. “Nunca vi sobrecarregado. O espaço físico sim, eles dividem, mas não que vá impedir o atendimento”, assegura.

O problema e a solução

Orçada em R$ 109.025,31, a reforma é feita com recursos do governo federal. A placa na frente da unidade informa que o período de obras seria de 15 de setembro a 15 de dezembro de 2016. De acordo com a Secretaria de Saúde, o motivo do atraso foi a não prorrogação do contrato com a empresa responsável no fim do ano passado. A atual gestão alega que a antiga fiscal de obras da UBS saiu de licença não assinou a nota de pagamento da segunda etapa da reforma. Ao assumir a secretaria, em janeiro deste ano, se refez toda a documentação com a adição de tempo no contrato e a contratação de um novo fiscal de obras. Atualmente, o processo está na prefeitura e assim que a empresa for paga iniciam-se os serviços. A previsão, segundo a SMS, é que na segunda quinzena de junho as obras reiniciem e, dentro de aproximadamente um mês, sejam finalizadas.

A secretaria ainda informa que a reforma no espaço é apenas estrutural. Quando voltar a funcionar, continuará a atender com duas equipes do Programa Saúde da Família e uma equipe de odontologia.

COMENTÁRIOS ( )