Segunda-Feira, 18 de Dezembro de 2017 |

R$ 500 mil gastos pela SMTASC com carros alugados é oriundo de Programa Federal

Segundo secretário Alexandre Lobão, esses recursos são destinados aos serviços sociais do município

Por Redação em 24 de Novembro de 2017

"Valor gasto com locação dos carros para os CRAS da cidade vem de Brasília." (Foto: Matheus Pfluck)


Recentemente foi pauta da Câmara de Vereadores a alta quantia gasta pela Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (SMTASC) com a locação de carros e motoristas. Na ocasião, o vereador Celmir Martello (DEM) aproveitou o espaço na tribuna para mostrar fotos de carros da própria pasta se deteriorando, enquanto o Executivo já havia gasto R$ 500 mil com veículos alugados.

A pauta inflamou o público presente na sessão na ocasião. Devido aos altos custos divulgados em veículos e funcionários que não permaneceriam no município, a reportagem do Jornal A Semana foi até a sede da SMTASC e conversou com o secretário da pasta, Alexandre Lobão, e com a psicóloga e coordenadora da Proteção Social Básica, Gabriela Silveira.

Foram os dois que explicaram o mal entendido ocorrido e divulgado durante a sessão; Segundo Gabriela, cada Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) do município recebe, por mês, R$ 12 mil. Como são cinco CRAS em Alvorada, dá um total de R$ 60 mil por mês e R$ 720 mil por ano. Todo este recurso é oriundo do Governo Federal e vem para ser investido em insumos que são utilizados durante o mês.

E, entre esses insumos, estão a compra de alimentos, os materiais para oficinas e oficineiros, e a locação de veículos e motoristas. Então sim, o município realmente gastou uma quantia significativa na locação de veículos, mas não foram os R$ 500 mil divulgados, porque nem todo este montante foi utilizado apenas para os carros, mas sim para outros serviços dentro dos CRAS da cidade. Além disso, este recurso não é do município.

O secretário da SMTASC, Alexandre Lobão, explica que boa parte do recurso que vem é destinado para a locação de oito carros: um para cada CRAS, um para o Bolsa-Família e outros dois para o CREAS. “A locação de carros é importantíssima para os serviços prestados no CRAS. Nós temos oito carros locados por mês. Os motoristas também vêm com o carro. Isso faz parte do contrato firmado há cerca de três anos”, explica o titular da pasta.

Demais destinações

Segundo o secretário Lobão, com este recurso se fazem todos os serviços do CRAS. Assim é possível, por exemplo, fazer o trabalho de fortalecimento de vínculo com os idosos e adolescentes. Tudo porque o recurso destinado é utilizado com transporte, alimentação, oficinas e outras demandas dos serviços prestados. “A gente não pode pegar esse recurso e fazer outra coisa. A destinação dele é para isso. E é um recurso muito bem gasto”, justifica Lobão.

A coordenadora da Proteção Social Básica, Gabriela Silveira, explica ainda que este recurso não pode ser utilizado para a aquisição de carros, equipamentos ou reformas estruturais. Isso porque o Governo Federal entende que o município tem que ter o equipamento e a estrutura, seja física ou profissional, adequada para prestar os trabalhos ofertados em cada CRAS da cidade. “Esse recurso não é pensado no grosso. O que é destinado não pode ser utilizado na compra de equipamentos. Por isso fazemos as locações”, justifica Gabriela.

Conforme a coordenadora, esse programa do Governo Federal beneficia todos os municípios, com cada um recebendo a quantia necessária. Esse recurso é definido conforme o porte da cidade e o número de CRAS que cada município tem. “Além disso, também temos outros recursos destinados para os serviços de convivência de cada um dos CRAS da cidade”, relata a psicóloga.

COMENTÁRIOS ( )